Empresa quer popularizar a compra de óculos de grau pela internet

Mesmo com os modelos solares dominando suas vendas, o e-commerce brasileiro QÓculos está apostando em estratégias para equilibrar esse quadro

Shutterstock

Não é raro encontrar e-commerces de óculos na internet a fora. O que é bastante improvável é que o “carro-chefe” das lojas virtuais do segmento seja o comércio de óculos de grau. A QÓculos quer mudar essa dinâmica.

O novo parceiro da marca, Odilon Santana Neto, comandou as Óticas Carol durante 15 anos, até o grupo ser vendido para um fundo de investimento estrangeiro, em 2012. Após a experiência no varejo tradicional, o executivo decidiu experimentar o mundo virtual em 2015.

A união deu certo: em 2016, a empresa dobrou de tamanho e o próximo passo é investir para alcançar o objetivo de popularizar os óculos de grau nas vendas online. Neto juntou-se a Rafael Galdino, fundador da QÓculos, no e-commerce e os dois passaram a criar novas estratégias, como a marca própria Hip7.

O próximo passo é popularizar a venda online de óculos de grau, uma vez que, hoje, os solares são responsáveis por 95% das vendas no site. Para isso, aprimoraram a plataforma que orienta os clientes na escolha do produto certo para o problema na visão. “As variáveis aumentam muito, é preciso saber escolher o tipo de lente, por exemplo”, explica Galdino. Além disso, há uma solução que utiliza a webcam ou câmera do celular para medir o DNP (distância naso-pupilar) dos consumidores, essencial para melhor adaptação às lentes.

A partir de experiências internacionais, os empreendedores analisam o que ainda não foi colocado em prática no Brasil. Nesse sentido, acreditam que o caminho para atingir sua meta passa por uma mudança nos hábitos dos brasileiros: “Queremos que os óculos de grau passem a ser vistos não como uma necessidade, mas sim como um acessório de moda, ou seja, o ideal é ter vários modelos”, pontua Neto.

Para o futuro, a dupla tem a expectativa de repetir as mesmas taxas de crescimento: dobrar de faturamento a cada ano. Fundada em 2013, a marca, hoje, tem mais de 45 mil clientes e um índice de recorrência de 40%.






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS
ANUÁRIO Brasileiro de Relacionamento com Clientes

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS