Dia das crianças: dia de inflação

Levantamento da Fecomercio SP mostra opções de presentes até 10% caras no mês. A boa notícia é que também há coisas com preço caindo. Veja quais são

José Cruz/ Agência Brasil

Bicicletas, brinquedos e cinema são algumas das coisas que chegaram ao mês de outubro mais caras que o normal. Por outro lado, roupas podem ser um ótimo presente para os pequenos, já que a maioria das peças teve aumentos abaixo da inflação média no país.

É o que mostra um levantamento feito pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), com base nos dados obtidos no Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA 15), levantamento parcial mensal da inflação feito pelo IBGE, referente ao mês de setembro.

Assistir a um filme no cinema, por exemplo, ficou 9,43% mais caro desde janeiro, enquanto uma bicicleta teve aumento médio de 6,77%. Brinquedos, em geral, registram variação positiva de 6,92%. A variação de preços desses itens superou a inflação média acumulada no ano até setembro, de 5,90%.

Já na área de vestuário, o preço das roupas infantis subiu em média apenas 2,11%, quer dizer, menos da metade da inflação do período. Calça comprida (4,97%), agasalho (2,73%), vestido (3,12%), bermuda e short (0,30%)  e camiseta  (0,78%) para crianças são alguns dos artigos que tiveram aumentos comedidos nos preços. Sandálias e chinelos infantil, inclusive, ficaram mais baratos: tiveram queda de 0,34% nos preços desde janeiro.

Segundo a Fecomercio SP, embora as maiores variações tenham sido observadas nos artigos de brinquedos, não há como definir qual a melhor opção de presente para que o orçamento não seja prejudicado, pois uma peça de vestuário pode ser mais cara que um item de brinquedo e vice-versa.

Presentes on-line

Estimativas da Ebit mostram que o faturamento nominal no setor de e-commerce brasileiro deve alcançar R$ 1,64 bilhão no mês em que se comemora o Dia das Crianças, crescimento nominal de 11,5% se comparado com o mesmo período de 2015. Serão mais de 4 milhões de pedidos, com tíquete médio de R$ 413.

Para Pedro Guasti, presidente do Conselho de Comércio Eletrônico da FecomercioSP e CEO da Ebit, os consumidores estão mais informados e buscando várias opções antes de fechar a compra. “Apuramos que no primeiro semestre deste ano tivemos no e-commerce um crescimento de 30% de consumidores ativos na comparação com o mesmo período do ano passado.”

Ainda de acordo com a Ebit entre os produtos mais procurados para a data estão bonecas, fantasias, jogos, bonecos de personagens e peças de montar e de encaixe.

Segundo Guasti, a escolha por produtos mais baratos tem se intensificado nos últimos meses, como aconteceu no Dia dos Namorados e Dia dos Pais, o que levou a queda na busca por eletrônicos e games. “Quando se fala em eletrônicos, percebemos que há quatro anos o tablet era um produto de sonho de consumo, principalmente entre jovens e crianças a partir de sete anos. Hoje, é substituído pelo smartphone.”

Guasti ainda reforça que é muito comum uma criança de 10 anos, em média, ter um smartphone e, assim, com cinco dólares ou menos ela consegue comprar um game através da loja de aplicativos. “Para crianças conectadas, um cartão pré-pago para compras de app’s (aplicativos) também é uma boa opção de presente com custo baixo.”

 

Com informações da Fecomercio SP

 

 






MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS Prêmio Consumidor Moderno

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS