VÍDEO: Saiba o que Mauricio Meirelles pensa sobre os Millennials

Em evento da B2, o humorista Maurício Meirelles comentou sobre o momento vivido pelos Millennials. Descubra o que o YouTuber pensa sobre o assunto

Por: - 3 anos atrás

Crédito: Melissa Lulio

É possível que você já tenha se perguntando qual é a lógica de uma livraria cheia de obras escritas por YouTubers. A depender da sua idade, inclusive, esse é um fato que pode ter te incomodado. Mas o fato é que, cada vez mais, o mundo é de quem faz sucesso na internet.

O humorista Mauricio Meirelles é um exemplo de personalidade de que é muito reconhecida online. Enquanto esta reportagem estava sendo escrita, o canal do artista em questão tinha 1.649.216 seguidores. Em evento da B2, realizado para que algumas empresas pudessem entender alguns pontos da personalidade dos jovens, Meirelles falou sobre esse e outros temas.

Ele esteve durante dez anos no mercado publicitário, atuando como redator. Nesse período, foi um profissional frustrado. Por essa e outras razões, o humorista seguiu um caminho diferente. Por ter muito contato com o público Millennial, ele comentou sobre alguns pontos que acredita que são fatos da realidade. “Estamos vivendo algumas eras”, comenta.

Transparência

Umas delas é a “Era da verdade”. Meirelles comenta que a TV, que até ontem era o principal canal para propagandas e para a comunicação, mostra o mundo como se ele fosse perfeito. A internet é diferente. “Muitas pessoas fazem sucesso por falar aquilo que querem no YouTube”, argumenta.

Nesse sentido, ele acredita que a “propaganda sincera” é um método que faz muito mais sentido nos dias de hoje. Exemplo disso é a campanha da Nextel, que promove a sinceridade, ou o case do Spoleto, que aproveitou a piada do Porta dos Fundos para fazer a própria divulgação. “Muitas marcas ainda se colocam acima dos consumidores, mas na realidade precisam estar junto ou abaixo dele”, defende.

Velocidade

Outra, é a Era dos acontecimentos rápidos. “A pesquisa é o talibã das marcas”, defende o humorista. Para ele, estudar o comportamento do consumidor utilizando métodos de longo prazo, sem reagir a determinados impulsos, pode ser prejudicial.

Exemplo disso é a briga feita nas redes sociais entre as redes Bob’s e McDonald’s, depois que este passou a ter o monopólio do milk shake de Ovo Maltine. “Se o Bob’s tivesse esperado para dar a resposta, teria perdido a oportunidade”, comenta.