Cliente é confundido com o ex-ditador Saddam Hussein pela Apple

Sharakat Hussain, de 26 anos, queria apenas o reembolso pela compra do novo iPhone. No fim, precisou provar que não o ex-ditador iraquiano

Shutterstock

Um caso curioso colocou frente a frente um consumidor e a Apple no Reino Unido. É que um homem teve o seu pedido de reembolso de £ 799 negado pela Apple por supostamente ser nada menos que o ex-ditador iraquiano (e já morto), Saddam Hussein.

O caso aconteceu em Great Barr, em Birmingham, na Inglaterra. De acordo com o tabloide inglês The Sun, Sharakat Hussain, de 26 anos, comprou o iPhone 7 para presentear uma irmã, que recusou o presente. Então, Hussain decidiu devolver o smartphone à loja e pedir o reembolso.

O QUE É MVP? LEIA NA EDIÇÃO DESTE MÊS DA CONSUMIDOR MODERNO

Na loja, ele foi informado que receberia o reembolso em sua conta corrente em alguns dias. No entanto, em vez do dinheiro, ele recebeu um curioso e-mail da própria Apple. A carta dizia que Hussein estava em uma espécie de “lista negra” da gigante americana, o que implicava em uma proibição do reembolso e o impedia até mesmo de adquirir o aparelho. Para receber o dinheiro de volta, ele precisou provar que não era o ditador – de novo, já morto.

Ao The Sun, Hussain disse: “Eu pensei que o e-mail era spam, fiquei chocado ao descobrir que era real. Eu estava furioso ao ser ligado a Saddam.”, disse. No fim, a empresa devolveu o dinheiro e a empresa enviou “sinceras desculpas” ao consumidor.

Com informações do THE SUN




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS