Uma prática ilegal (e comum) na cobrança da pizza meio a meio

Sexta-feira também é dia de comer uma pizza com os amigos. Mas cuidado: algumas pizzarias “espertinhas” se acostumaram a uma prática contrária ao Código de Defesa do Consumidor

Shutterstock

O Procon de Fortaleza realizou uma operação que vai dar o que falar no Brasil. Eles realizaram uma fiscalização em diversas pizzarias da capital cearense e um dos alvos é uma prática recorrente de algumas pizzarias: a cobrança indevida da pizza “meio a meio”. Você sabe o que é isso?

No entendimento do órgão de fiscalização cearense, a cobrança pelo valor maior da “meio a meio” é proibida e passível de multa que pode chegar a R$ 11 milhões. Na prática, porém, não é isso o que acontece.

Alguns estabelecimentos cobram a pizza meio a meio pelo sabor de maior valor. O certo é dividir o preço. Ou seja, se o cliente pedir uma pizza meio a meio, em que o valor inteiro de uma das metades é R$ 30,00 e para a outra é R$ 60,00, ele pagará pela média – ou R$ 45,00 – ao contrário do que ocorre hoje na maioria dos estabelecimentos, em que essa pizza sairia mesmo pelos R$ 60,00.

O Procon-Santos chegou a lançar uma campanha similar chamado de “preço médio”. Fique atento a isso da próxima vez que solicitar a sua pizza pelo iFood ou mesmo aquele folder grudado na sua geladeira. Se o dono da pizzaria se recusar, sem problemas: mude para a outra pizzaria – pois isso é o que não falta em São Paulo e nas capitais brasileiras.




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS