O fim do CD será o ponto final da pirataria de softwares?

A BSA Software Alliance divulgou balanço pelo uso softwares piratas. Dependendo do ponto de vista, o resultado não necessariamente é bom: subiu o número denúncias pelo uso ilegal dos programas

Shutterstock

O fim da mídia “CD” ou “DVD” colocaria um fim na pirataria de softwares? Não necessariamente…

A BSA Software Alliance, uma das maiores defensoras do setor global de software, encerrou outubro com 9.820 denúncias relacionadas ao uso de softwares piratas ou não licenciados no Brasil. O volume já ultrapassa o total computado para 2015. É bom lembra que pirataria no setor é crime, causa muitos prejuízos e a responsabilidade por seu combate deve ser compartilhada.

“O uso de softwares piratas abre margem para os ataques cibernéticos, uma prática que acarretou às empresas, somente em 2015, um prejuízo de U$ 400 bilhões. Ou seja, é algo que faz muito mal à economia global”, diz o country manager da BSA para o Brasil, Antonio Eduardo Mendes da Silva (Pitanga).

Segundo o levantamento da BSA, nos últimos 12 meses a instituição registrou 12.480 denúncias, o que significa uma média de mais de 1000 relatos por mês. “Nem todas as denúncias procedem, mas de certo é um volume considerável, e nós atribuímos essa mobilização à campanha Pensando Bem e à disseminação de informações às empresas sobre como estabelecer um programa efetivo de gestão de ativos de software (SAM – Software Asset Management), capaz de minimizar os riscos econômicos e reputacionais advindos da pirataria”, diz Pitanga.

A edição de 2016 da pesquisa da BSA sobre uso irregular de softwares em todo o mundo mostra que, no Brasil, o percentual de softwares não licenciados é de 47%.

 




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS