29% dos comerciantes já tiveram problemas com vendas no cartão

Moeda de plástico também já foi dor de cabeça para prestadores de serviços, segundo estudo do SPC Brasil. Entenda os motivos

Se o cartão de crédito e débito são ferramentas que trazem conveniência aos consumidores, do lado dos empresários a coisa não é tão bem assim. Estudo do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) mostra que 29% dos comerciantes e prestadores de serviços já enfrentaram problemas com a moeda de plástico.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

Segundo os empresários ouvidos pelas instituições, as principais queixas são cobranças indevidas (11,1%) e pagamentos não creditados após a transação da venda, constatado por 9,2% dos empreendedores.

Apesar de ser uma ferramenta comum de pagamento, os cartões ainda não são aceitos por todos os estabelecimentos: 72,3% aceitam a moeda de plástico de crédito.

Além disso, 28,7% desses empresários não realizam qualquer controle ou mecanismo de conciliação de vendas feitas no cartão. A conciliação de cartões, consiste, basicamente, em verificar se o valor recebido pela venda a débito ou crédito corresponde ao valor correto a ser repassado pela operadora.

Segundo a pesquisa, 66,7% dos comerciantes e prestadores de serviços que não fazem conciliação bancária se veem em desvantagem por não adotar esse tipo de controle interno em suas empresas, principalmente por não saberem o quanto recebem com cada meio de pagamento (22%) e estarem expostos a fraudes das operadoras e de vendedores mal intencionados, que podem simular vendas para depois cancelá-las (13,6%).

Nova tecnologia
De olho nesses dados, o SPC Brasil lançou nesta semana o ‘SPC Conciliador’, solução que simplifica a comunicação entre as operadoras de cartões de crédito, débito e também de benefícios e os lojistas e prestadores de serviços de todo o país.

A solução permite a conferência automática das transações efetuadas em diversos tipos de cartões e bandeiras, facilitando as conciliações bancárias com rapidez e segurança.

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Quanto custa abrir uma franquia de varejo no Brasil?

Home office é tendência de trabalho para 2020: veja 5 dicas

“Parasita”: Pessoas, baratas, parasitas e a diluição da identidade

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

Quais são as tendências para 2020. Veja a lista

VEJA MAIS