Apple acusada de matar criancinhas

Após perder filha em acidente causado por motorista usando iPhone, casal processa companhia por não desincentivar aplicativos ao volante

Por: - 2 anos atrás

Shutterstock

A falta de um botão que bloqueie o uso do FaceTime em seus iPhones por motoristas ao volante pode custar caro à Apple. É esta a razão que está levando um casal da cidade de Santa Maria, na Califórnia, a processar a companhia.

James and Bethany Modisette perderam a filha de cinco anos, Moriah, em um acidente de automóvel ocorrido em dezembro de 2014, no Texas, quando um motorista colidiu na traseira de seu automóvel. Segundo o próprio rapaz, ele estava conversando no FaceTime, o aplicativo de vídeo-conversas da Apple, no momento em que bateu.

Os policiais teriam inclusive encontrado o programa ainda ligado e em funcionamento em seu iPhone 6 quando chegaram ao local. A batida deixou o casal e as duas filhas que estavam no carro feridas. Mariah não resistiu e faleceu pouco depois. O processo foi aberta na última sexta-feira (29/12), segundo o site especializado em legislação Courthouse News.

A alegação da família em sua acusação é que a Apple deveria ter disponibilizados botões que desliguem o aplicativo quando o usuário estiver dirigindo ou ao menos alertas que atentem para o perigo da situação. E não foi por falta de tecnologia que não o fez: segundo os acusantes, a Apple tem patenteado desde pelo menos 2012 um “dispositivo portátil de boqueio para motoristas”.

Se usar celular, não dirija
Advogados consultados pelo jornal The Guardian se dividem entre a possível culpabilidade da Apple ou não. O registro da patente certamente pesa contra, já que aponta que a companhia tinha consciência há tempo dos riscos de seu produto. Além disso, não é a primeira vez: no início do ano passado outra família processou a Apple por um acidente causado por uma motorista usando seus aplicativos.

Gradualmente, vários países também reconhecem o risco da relação entre celular e direção e têm apertado as regras nesse sentido. No Brasil, desde novembro passado, o uso do telefone ao voltante foi alçado de infração média a gravíssima e a multa mais que triplicou, de R$ R$ 85,13 para R$ 293,47.

Vários estados dos Estados Unidos também aplicaram regras no gênero nos últimos anos. Não é, no entanto, o caso do Texas, onde ocorreu o acidente com os Modisettes. Embora várias cidades locais tenham apertado suas leis individualmente, não há nenhuma restrição legal no estado a fazer ligações ou enviar textos enquanto se dirige.