O CEO que vai reembolsar do próprio bolso clientes insatisfeitos

É a promessa de Jason Fried, fundador de uma companhia de tecnologia de Chicago. Será que essa ideia pega?

CEO da Basecamp irá pagar reembolso de cliente do próprio bolso (Shutterstock)

Não há nenhuma novidade em as pessoas adentrarem um novo ano cheias de metas e promessas de determinação. O empresário Jason Fried, no entanto, fez uma promessa especialmente ousada – e em público.

Um dos fundadores da Basecamp, empresa de programas de gestão de projetos baseada em Chicago, Fried publicou no terceiro dia de 2017 um post no blog da companhia garantindo que, a partir deste ano, todos as devoluções e pedidos de reembolso de seus clientes passarão a ser pagos diretamente de seu salário.

“Se um cliente está insatisfeito com a Basecamp a ponto de solicitar um reembolso, a penalidade deveria ser minha”, escreveu Fried. “Nós não o deixamos feliz, então, como co-fundador e CEO, a responsabilidade final é minha. Ela deve recair sobre mim.”

A Basecamp é uma startup já bem grandinha, fundada em 1999, que fornece um programa de gestão de fluxos e processos, organizando em uma tela única tarefas, emails e projetos que correm dentro das empresas. Em 2016, chegou à marca de 2,19 milhões de clientes ativos – em 2004, eram apenas 40.

Em seu post, Fried fez referência a uma lendária plaquinha que o presidente americano Harry Truman, que governou o país logo após a Segunda Guerra, mantinha na mesa de seu escritório na Sala Oval. A plaqueta dizia: “The buck stops here” – uma expressão americana para dizer que “os problemas acabam aqui”.

“Neste ano, eu decidi aplicar a famosa placa de Harry Truman literalmente. Então, em 2017, todos os reembolsos solicitados pelos clientes da Basecamp irão sair do meu pagamento”, escreveu.

O empresário explica que a empresa ainda está pensando na melhor forma de fazer isso – juntar tudo e descontar de seu bônus de fim de ano, descontar a cada fechamento trimestral de balanços etc.

“Isso vai continuar em 2018? Veremos – é só um experimento. Não há nenhum objetivo definido além do fato de que eu quero ver e sentir os reembolsos deste ano como uma responsabilidade pessoal.”

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS