Super Mario Run, no Android mais perto de você

Um mês depois de lançar a versão móvel do game para iPhone, Nintendo anuncia a data de chegada para os smartphones movidos a Android também

Por: - 2 anos atrás

Super Mario Run, jogo da Nintendo para smartphones (Divulgação)

Aos 33 anos de vida, em dezembro do ano passado, o encanador bigodudo da série de games dos anos 80 Mario Bros. ganhou sua primeira versão para smartphones.

Foi quando a Nintendo, sua criadora, anunciou o lançamento Super Mario Run, a versão para smartphones do joguinho, para iPhone. Os fãs entraram em frisson, mas boa parte deles ficou de fora: os aparelhos com o sistema operacional Android foram deixados para depois. E sem data marcada.

Pois essa data chegou: em março de 2017 o jogo retrô finalmente chega à PlayStore. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (18) pela Nintendo, em claro e bom japonês, em sua conta oficial no Twitter.

Nintendo confirmou para março Super Mario Run para Android (Reprodução)

Nintendo confirmou para março Super Mario Run para Android (Reprodução)

“A Nintendo Japão confirmou a notícia que muitos queriam ouvir – Super Mario Run vai chegar aos aparelhos Android em março”, anunciou a companhia em seu blog. “O título 2D do Mario foi temporariamente exclusivo para os aparelhos da Apple com plataforma iOS, mas chegou a hora dele ir para o popular sistema operacional do Google também.”

O download na PlayStore poderá ser feito aqui (há um espaço de pré-registro para quem quer receber notificação quando estiver disponível). Para quem tem iPhone e iPad, o download pode ser feito aqui.

Segundo o site da revista Fortune, a versão para dispositivos da Apple, no ar na App Store desde 15 de dezembro, atingiu o recorde de 40 milhões de downloads em poucos dias. Por outro lado, parece que decepcionou a muitos.

O problema está no modelo de pagamento escolhido pela Nintendo – há uma versão básica gratuita do jogo, enquanto a versão completa deve ser comprada por US$ 9,99. Vai na contramão da maioria dos games, que são em geral gratuitos e cobram pequenas quantias por atributos especiais ao longo do jogo.

Ainda segundo a Fortune, apenas um em cada 10 usuários topou desembolsar os US$ 9,99.