16 fatos para ficar de olho após a posse de Donald Trump

Sob o olhar de desconfiança de diversos países ao redor do mundo, o polêmico Donald Trump assume a presidência dos EUA. A Amcham, maior câmara de comércio norte-americana, fez uma lista de fatos para ficar de olho no relacionamento entre Brasil e os norte-americanos

Shutterstock

Hoje, às 15h (horário de Brasília) tomará posse o 45º presidente dos EUA: o polêmico empresário e apresentador de TV, Donald Trump.

Ao redor do mundo, há incertezas sobre os rumos da maior nação do Globo, especialmente quando o assunto é o relacionamento entre os países. Presidentes de outras nações externaram suas preocupações, casos de Alemanha e China, e outras aplaudiram Trump, como, por exemplo, a Rússia – um rival histórico ianque.

Deborah Vieitas, CEO da Amcham, a maior câmara de comércio norte-americana, manteve a cautela ao falar do novo presidente norte-americano, porém ressaltou as promessas feitas durante a campanha eleitoral. “Muito provavelmente, nós estaremos assistindo a um maior crescimento da economia americana se o Presidente Trump realizar os investimentos anunciados em infraestrutura, reduzir impostos e liberalizar regulamentações que restringem setores empresariais dos EUA.”, disse.

Vieitas e a Amcham listaram 16 pontos importantes na relação comercial entre os dois países. Confira.

1 – O Brasil passou por um processo recente de mudança de Governo. Os EUA passam a ter um novo Governo hoje (20). É um momento propício para retomada de assuntos importantes para as relações políticas e econômicas entre os dois países.

2 – O Brasil é um parceiro histórico dos EUA e sempre foram aliados na configuração da geopolítica mundial

3 – As relações econômicas, comerciais e empresariais sempre evoluíram independente de questões de conjuntura política

4 – A parceria econômica entre Brasil e Estados Unidos deve ser entendida como um “jogo” de soma positiva para ambos os lados. Os dados de fluxos de investimentos diretos, a importância e qualidade da pauta comercial e, a perspectiva de indicadores positivos para os dois países em potenciais acordos, exemplificam isso

5 – De acordo com dados do Banco Central, os Estados Unidos continuam a ser o país com maior volume de Investimento Externo Direto (IED) no Brasil, com estoque no valor de US$ 116 bilhões, até 2013 (último dado disponível)

6 – Em 2014, o BACEN estimou que teriam ingressado no Brasil aproximadamente US$ 8,5 bilhões de IED provenientes dos EUA

7 – O Brasil é o maior destino de investimentos dos EUA na América do Sul

8 – As subsidiárias de empresas brasileiras exportam, a partir dos EUA, cerca de US$ 5,6 bilhões em produtos e serviços para outros países

9 – Mais de 7 mil empresas brasileiras exportam produtos e serviços para os EUA (Fonte: SECEX)

10 – Principais itens da pauta de exportações do Brasil para os EUA em 2016 (por ordem decrescente de valores): Máquinas mecânicas; Aviões; Ferro e Aço; Combustíveis; e Café

11 – O Brasil ocupa a 17ª posição mundial no ranking geral de importações dos EUA, com US$ 28 bilhões, representando 1,2% do total

12 – O fluxo de investimentos diretos dos EUA no Brasil cresceram a uma taxa anual média de 7,67% entre 2010 e 2016 (dados até novembro)

13 – O fluxo de investimentos diretos do Brasil nos EUA cresceu a uma taxa média anual de 6,5% entre 2010 e 2016 (dados até novembro)

14 – O crescimento dos ativos brasileiros nos Estados Unidos foi de 221% entre 2007 e 2012

15 – Os ativos norte-americanos no Brasil tiveram um crescimento de 37%, atingindo US$ 283 bilhões em 2012

16 – Destaque para o fato de que o valor investido pelos Estados Unidos no Brasil representa 53% do total de ativos do país na América do Sul em 2012




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS