Meitu: um aplicativo para smartphone irresistivelmente perigoso

O Meitu é o aplicativo para smartphone do momento na Ásia e que, aos poucos, começa a ganhar espaço no Ocidente. Só tem um problema: a estranha lista de exigências para a instalação do app. Veja

Meitu/ divulgação

Já ouviu falar do aplicativo chamado Meitu? Trata-se da mais nova mania entre jovens da Ásia e que, aos poucos, começa a ganhar popularidade entre donos de smartphones no Ocidente. O que ele faz? Algo irresistível, mas ao mesmo tempo bem perigoso.

Basicamente, a pessoa tira uma foto e a selfie é transformada em um belo anime – nome dado as animações japonesas. De fato, o aplicativo é lindo, mas esconde algo, no mínimo, estranho: possui uma extensa lista de permissões de acesso a dados pessoais. E não são poucas.

Normalmente, aplicativos exigem permissões de acesso à câmera e/ou lista de contatos. O Meitu vai muito além: além desses dados, o app exige a localização de GPS do usuário, informações do cartão SIM, status de jailbreak (índice de possibilidade de alguém burlar as restrições impostas por uma empresa em seu dispositivo, adicionando funcionalidades não oficiais a eles) e identificadores pessoais que podem ser usados para rastrear você e seu dispositivo pela WEB.

Em entrevista a Wired, um especialista estranhou a quantidade de exigências para a instalação do app. “Muitos aplicativos coletam dados, mas geralmente eles são feitos por empresas conhecidas e com as quais confiamos os nossos dados”, afirma Greg Linares, um pesquisador de segurança da empresa de gerenciamento de ameaças Vectra Networks, que continua. “é uma empresa estrangeira, que está coletando dados muito estranhos e que não deveriam ser vistos necessariamente para o funcionamento da aplicação”, completa.

O aplicativo está disponível para Android e iOS.

Outro lado

A Meitu entrou em contato com a reportagem da Consumidor Moderno para falar sobre o assunto. “Como a Meitu está sediada na China, muitos dos serviços fornecidos pelas lojas de aplicativos são bloqueados. Para contornar isso, a Meitu emprega uma combinação de sistemas de rastreamento de dados de terceiros e verifica se os dados do usuário rastreados são consistentes. No entanto, a empresa ressalta que não vende os dados dos usuários a terceiros.”, afirma Nathalia Brogiatto, relações públicas da Meitu no Brasil.




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS