O hotel que pinta paredes

Projeto de rede hoteleira leva oficinas de grafite para jovens de comunidades de risco e ganhou prêmio de turismo sustentável da ONU. Veja as fotos

Por: - 2 anos atrás

Grafite em Colônia, na Alemanha (Divulgação)

Arte não é uma coisa que deve ficar presa apenas dentro de museus. A arte também é uma ferramenta de expressão, educação e ressocialização para pessoas sem acesso a oportunidades. E é uma obrigação das empresas levar impactos positivos para as comunidades do entorno onde se instalam.

Estas três premissas, unidas, foram a base para a criação do projeto “Adding Color to Life” (“adicionando cor à vida”, em inglês), promovido pelo grupo hoteleiro Carlson Rezidor, dona da bandeira Radisson no mundo.

Em parceria ao muralista nova-iorquino Joel Bergner, os hoteis Park Inn, também do grupo, oferecem oficinas de pintura e grafite e cria grandes paineis coletivos em muros da cidade com jovens e adolescentes locais vivendo em situações de risco ou fragilidade. Crianças e adolescentes de famílias de baixa renda, orfanatos e refugiados são alguns dos perfis que aparecem entre os participantes.

A iniciativa foi uma das quatro vencedoras da edição de 2017 do Prêmio UNWTO de Excelência e Inovação em Turismo, realizado pelo braço de promoção ao turismo das Nações Unidas. Mais de 150 projetos, de 55 países diferentes, se inscreveram, entre empresas, ONGs e poder público.

“É um projeto que envolve não só arte pública, mas também a união de pessoas com diferentes vivências para usarem sua criatividade em prol de um objetivo comum”, diz Bergner. “É importante que os jovens percebam que eles têm o poder de promover uma mudança social em sua comunidade e de se conectar com outros jovens e adultos de uma maneira positiva.”

Bergner vive no Brooklin, em Nova York, mas viaja o mundo com o seu projeto, o Artlution, organização que promove oficinas e projetos de arte em comunidades carentes. Regiões tão díspares quanto Estados Unidos, Palestina e Kenia são algumas por onde já passou.

Em 2014, Bergner veio para o Rio de Janeiro a convite do consulado norte-americana, para fazer os grafites que enfeitaram a Vila Olímpica do Vidigal. A oficina foi feita junto às crianças e adolescentes da comunidade do morro.

Em 2014, Joel Bergner esteve no Rio para pintar murais na Vila Olímpica do Vidigal, com jovens da comunidade (Divulgação)

Em 2014, Joel Bergner esteve no Rio para pintar murais na Vila Olímpica do Vidigal, com jovens da comunidade (Divulgação)

O projeto “Adding Color to Life” começou em 2015 e já pintou murais em nove cidades onde há um Park Inn instalado, entre elas Bruxelas, Joanesburgo e Cracóvia. Veja as fotos:

[masterslider id=”21″]