Isto é o que você precisa saber para engajar de verdade a sua equipe

É preciso encarar a questão de frente: uma equipe feliz tem resultados muito melhores. A sua empresa sabe fazer colaboradores felizes?

A importância das pessoas nos resultados de uma empresa é algo largamente discutido no Brasil – a NOVAREJO, inclusive, aborda o tema com frequência e apoia o reconhecimento Melhores Empresas para Trabalhar GPTW NOVAREJO. Na NRF 2017, o tema ganhou proporções globais e os executivos concordam em unanimidade: nunca se falou tanto sobre cultura, engajamento e propósito. Nesse sentido, Edmour Saiani, fundador da Ponto de Referência Consultoria, trouxe sua visão sobre o assunto durante o Pós NRF 2017 promovido pela BTR Varese com apoio da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC).
A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!
O executivo destaca que, primeiro, as empresas precisam deixar suas pessoas felizes. “Porque sem um eu feliz não existe nós. O eu é o propósito, o nós é a causa”, aponta. “As pessoas se doam quando pessoas com certos propósitos se unem por uma causa”. As pessoas são diferentes então é natural que tenham propósitos diferentes. Sem ele, porém, ninguém vai para frente.
Itens como vocação, razão de ser e bem estar comum precisam estar na pauta das empresas, elas realmente precisam prestar atenção nisso para fazerem suas equipes felizes. “Quando encontro uma razão de ser para a minha vocação e levo para o bem estar comum, quero atuar praticamente como voluntário. Aí mora o propósito”, explica o executivo.
As inscrições para o reconhecimento Melhores Empresas Para Trabalhar GPTW NOVAREJO já estão abertas! Inscreva-se aqui.
Em sua visão, fica uma pergunta simples: como posso exigir que alguém atue bem em uma função se eu (empresa) não faço o bem para ela?
Visão
Saiani destaca a importância de unir missão com causa. “A causa precisa funcionar para todo mundo. O problema de varejo é que existe todo mundo, mas alguns são mais todo mundo que os outros. A matriz acha que a ponta é lixo, que não estuda, que não importa, mas é ela que entrega a experiência do cliente, é ela que importa”, provoca. “Quem não trata a ponta bem não é o cliente, é a matriz da empresa”.
Assim, o executivo cria o termo de B2WE (em vez de B2B, business to business, ou B2C, business to customer) – o negócio para nós. Porque se a empresa não for boa para o funcionário, o trabalho não rende. Se quem manda na empresa é o cliente, a equipe mais importante é aquela que fica na frente do cliente.
KPIs
Quem é o líder do futuro? “Aquele que sabe ser um ‘cutucador’ permanente de pessoas para ver se ela consegue fazer melhor”, descreve o especialista. Por isso, define duas métricas que são as mais importantes ao seu ver: Interesse Genuíno em Pessoas e Elogio Por Dia – a soma para garantir uma equipe motivada. “Sai na frente não aquele que se adapta mais rápido, mas aquele que inspira os outros a se adaptarem”.
Assim, é necessário que o varejo ensine sua equipe a conquistar o cliente. “Você compra mais de quem insiste em vender ou de quem atende melhor?”, questiona.






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS