Celulares vão virar medalhas no Japão

Sede das Olimpíadas 2020, Tóquio vai reaproveitar materiais de lixo eletrônico para fazer as medalhas que irão para os jogos

Rio 2016/Divulgação

Se passar pelo Japão em algum momento dos próximos três anos, e tiver um celular velho no bolso, você pode colaborar para a confecção das medalhas que premiarão os atletas das Olimpíadas 2020.

O comitê organizador dos próximos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, que acontecerão em Tóquio, lançou nesta semana uma campanha para recolher smartphones e outros lixos eletrônicos que serão reaproveitados para as medalhas de ouro, prata e bronze destinadas ao peito dos atletas. Estes são alguns dos metais que existem na composição dos eletrônicos, e que serão retirados para reúso.

Para fazer as 5 mil medalhas necessárias, o comitê olímpico estima que precisará de 8 toneladas destes metais – o que, segundo os organizadores, irá demandar “milhões” de smartphones.

Feita em parceria com com a gigante japonesa de telecomunicações NTT Docomo e o centro oficial para meio ambiente do governo japonês, a campanha está espalhando cerca de 2.400 postos de coletas pelo país, que ficarão nas lojas da NTT.

Segundo o jornal Japan Times, não é a primeira que as medalhas das Olimpíadas são feitas a partir de material reciclado. As dos Jogos Olímpicos do Rio, por exemplo, foram feitas a partir de sucata. Mas o Japão será o primeira a retirar os metais necessários de lixo eletrônico. A expectativa do comitê é que 100% das medalhas de outro venham de material reaproveitado.

 

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS