Tá calor? Muito cuidado com o gelo que vai no seu copo

Você é uma daquelas pessoas que não se contentam com refrigerante gelado e logo pede gelo extra? Tenha cuidado, pois eles podem conter indesejáveis surpresas

Shutterstock

Tem gente que não se contenta em beber sucos ou refrigerantes gelados. Não demora e logo já vira para o garçom e pede para trazer um pouco de gelo. Uma prática corriqueira, mas que pode representar alguns riscos para o consumidor.

O fato é que muita gente não se importa com a qualidade do gelo que está ingerido. Tem gente até que afirma que a baixa temperatura é capaz de eliminar qualquer ameaça microscópica para o organismo. O fato é que isso não é necessariamente verdade, pois há riscos para a saúde.

Há especialistas que afirmam que os tais cubinhos podem transportar objetos indesejáveis. Há, inclusive,  um aumento no potencial no risco de contaminação por bactérias, geralmente, do Grupo Coliforme que se dividem em dois tipos: totais e fecais (também chamados de termotolerantes).

De olho nesse momento em que o consumidor baixa guarda, o Procon de São Paulo (Procon-SP) preparou seis dicas bem legais. Confira seis dicas na hora de comprar e consumir gelo:

1 – Ao consumir gelo em bares e restaurantes, verifique se o mesmo apresenta-se como um cilindro ou cubo com uma abertura central;

2 – Evite tomar qualquer bebida em bares, restaurantes e outros ambientes que você desconhece a qualidade da água, mesmo que o local aparente ser de confiança;

3 – Certifique-se da qualidade do produto vendido em postos de gasolina, por exemplo. Na embalagem deve conter: marca da empresa, quantidade, identificação da origem (nome/ razão social do fabricante ou produtor ou fracionador ou proprietário da marca, endereço completo – país de origem e município -, identificação do lote e prazo de validade);

4 – Confira se a embalagem está bem conservada. O gelo precisa ser estocado e manipulado sob condições que evite sua contaminação;

5 – Assim como a própria água, o produto deve ser inodoro, insípido, sem nenhuma sujidade, parasitas e larvas. Microrganismos patogênicos e os parasitas podem ser transmitidos por meio da água;

6 – O gelo servido em barra ou escama não necessita ser fabricado com água filtrada e só poderá ser utilizado para resfriar produtos embalados, incluindo bebidas envasadas.

 






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS