Empresa norte-americana proíbe seus caminhões de dobrar à esquerda

A prática curiosa permite uma economia de milhões de litros de combustível e aumentou o número de entregas anuais. Entenda o caso

A eficiência logística é uma busca constante do setor varejista – principalmente no Brasil, onde os gargalos são tantos. Observar cases internacionais sempre é uma inspiração e um, específico, é bastante curioso. A UPS, famosa empresa norte-americana de entregas, instrui seus motoristas para que evitem ao máximo dobrar à esquerda.
A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!
Conforme informa a BBC, a política, implementada desde 2004, indica que as entregas sigam o caminho mais conveniente e não aquele mais rápido ou com menos trânsito. Isso porque tentar dobrar à esquerda no trânsito (ou à direita em países de mão inglesa) obriga o motorista a esperar um semáforo ou uma brecha no trânsito do sentido oposto. A chance de uma possível colisão também é maior. 90% das viagens da companhia são realizadas com essa premissa.
Resultados
A empresa aponta que isso permite uma economia de 30 milhões de litros de combustível por ano, deixando de emitir 20 mil toneladas de dióxido de carbono e permitindo a entrega de 350 mil pacotes a mais.
Para a façanha, a organização utiliza um software chamado Orion, que utiliza um algoritmo que mais de mil páginas procurando o caminho mais conveniente – e não o mais curto.
“O Orion não necessariamente traça a rota perfeita para nossos condutores, que fazem em média 120 paradas por dia”, disse Myron Gray, presidente de operações da UPS nos Estados Unidos à BBC. “Em vez disto, escolhe entre trilhões de potenciais rotas para dar um caminho mais eficiente a nossos motoristas. Sim, trilhões”.
Aplicação
Para testar a ideia, o programa Caçadores de Mitos, do Discovery Channel, colocou na rua dois veículos com o mesmo número de entregas. Um deles deu oito viradas à esquerda e quatro à direita, enquanto o outro, apenas uma à esquerda e 23 à direita.
Em termos de tempo e distância, a prática realmente não é a melhor opção, já que demandou 10,8 quilômetros e 61 minutos para completar as entregas. O segundo caminhão, com mais viradas à esquerda, percorreu 8,3 quilômetros em 52 minutos. A economia de combustível, no entanto, é real: 1,81 litro de gasolina para as voltas apenas à direta contra 3,08 litros.
Para uma empresa do porte da UPS, a diferença realmente é sentida, já que conta com uma frota de mais de 100 mil veículos. Para um motorista comum, porém, a aplicação não tem o mesmo efeito. Como lembra a BBC, os responsáveis pela experiência dizem que, para sentir a diferença, todos os motoristas de uma cidade teriam que ser proibidos de virar à esquerda.




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS