Claro revê projeto de loja com foco na experiência do cliente

A Claro inaugura novo conceito de loja para lembrar aos clientes que o ponto físico é parte da estratégia de atendimento, sem esquecer a experiência

Não importa os setores da economia, mais e mais as empresas buscam formas de se conectar com os consumidores de forma mais direta. E as lojas têm sido uma das estratégias escolhidas. Na Claro, empresa de telecomunicações, o ponto físico é mais do que um canal a mais disponível para o consumidor. Ele é parte essencial da estratégia de atendimento: 90% do total das vendas vêm dos pontos físicos, segundo Leandro Bueno, diretor de canais da Claro.
A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!
Como os tempos são outros, a empresa não olha para o ponto físico apenas como canal de atendimento e venda, mas como uma ferramenta que ajuda a entregar uma experiência mais palpável ao consumidor. Essa é a proposta do novo conceito de loja que a companhia inaugurou no Shopping Morumbi, em São Paulo. “Mesmo sabendo que o on-line é importante, a loja física é essencial para a nossa estratégia, porque ali você torna tangível o serviço e tudo aquilo que deseja para o cliente”, explica Bueno.
Para desenhar esse novo conceito, a companhia avaliou todo o portfólio de lojas, ouviu clientes e alinhou a estratégia. “O que concluímos é que estávamos caminhando para a sinergia dos negócios da Claro com toda a parte de TV e banda larga da Net. E vimos que estávamos fazendo muita adaptação para conseguir essa sinergia. Então, definimos que partiríamos do zero para construir algo com a cara do grupo – essa foi a premissa básica do projeto”, explica.
NOVAREJO foi até a nova loja da Claro para entender as mudanças. Confira aqui a galeria!






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS