Casas Bahia e Pontofrio querem o seu celular usado

Além da Magazine Luiza, as redes de varejo eletroeletrônico do GPA apostam na mesma estratégia para aumentar as vendas de aparelhos com maior valor agregado

A Casas Bahia e o Pontofrio, empresas da Via Varejo – pertencente ao GPA – começam a aceitar os aparelhos de celular e tablets usados na compra de um novo. A estratégia de recompra será utilizada em todas as lojas físicas e também nos canais online.
“Trata-se de um serviço bastante comum no exterior e que estamos otimistas em oferecer no Brasil, valendo-se, para isso, da forte capilaridade da Casas Bahia e do Pontofrio – com mais de 970 pontos em todo o país – e da alta participação no mercado online. O serviço visa aumentar o poder de compra de nossos clientes para que tenham acesso a produtos premium e de forma sempre competitiva”, afirmou em nota Fernando Spinelli, gerente de Serviços e Mobile da Via Varejo.
A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!
Segundo o executivo, a iniciativa complementa os trabalhos de sinergia entre online e offline realizados pela companhia, o que tem resultado em ações integradas e multicanais. Para o futuro, a multicanalidade permitirá evolução na entrega de serviços, agregando novas funcionalidades e trazendo ainda mais comodidade e facilidade aos clientes.
A ideia é que o projeto de recompra chegue a todas as lojas das redes até o final de março. As empresas da Via Varejo não são as únicas a apostar na estratégia. A Magazine Luiza, com 800 lojas pelo País, também atua com programa de recompra desde o ano passado.
As vendas da companhia apresentaram alta de 8,3% ao longo de 2016 muito incentivadas pelas vendas de aparelhos de celulares. Segundo a empresa, essas vendas foram incentivas pelo programa de buy-back, em que a companhia aceita o celular usado na compra de um novo.
A estratégia de utilizar o aparelho usado na compra de um novo é antiga entre as operadoras de telefonia. No varejo, entre as grandes redes, a Magazine Luiza foi a primeira a adotar a estratégia, comum nos Estados Unidos.
Como funciona
As redes não aceitam telefones que estejam associados à perda e roubo e que não liguem ou que possuam mecanismo de localização e bloqueio de senha ativados.
No caso das marcas da Via Varejo, a negociação é válida apenas para aparelhos adquiridos no Brasil. Com exceção desses pontos, a rede avaliará todos os equipamentos trazidos, inclusive com telas riscadas ou quebradas.
No site da Casas Bahia, também são aceitos os mesmos itens usados e o pagamento será feito em cartão presente, podendo ser utilizado em ofertas de todos os departamentos do e-commerce.
Já nas lojas físicas, a análise é feita pelo vendedor a partir da inclusão dos dados do item em um sistema que indica o valor a ser oferecido pelo aparelho usado. Se o cliente estiver de acordo com a proposta o crédito estará disponível instantaneamente para compra de um novo aparelho.






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS