Carnaval deve movimentar R$ 5,8 bilhões

Este é o valor projetado para as áreas de alimentação fora do lar, transporte e serviços de turismo. Confira onde estarão concentrados os recursos

O Carnaval não é só folia. Para muitos segmentos, o feriado tradicional brasileiro gera bilhões de negócios. É o que projeta alguns segmentos ligados ao turismo. Segundo a CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), a data deve movimentar R$ 5,8 bilhões.
A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!
Os segmentos de alimentação fora do domicílio ficarão com a maior parcela desses recursos. Ao todo, espera-se um movimento de R$ 3,31 bilhões no Carnaval. O transporte rodoviário deve movimentar R$ 977,9 milhões no Carnaval, ao passo que os serviços de alojamento em hotéis e pousadas ficarão com R$ 652,5 milhões.
Ao todo, os três segmentos devem concentrar 85% do total dos recursos.
A receita calculada para este ano é 5,7% menor que aquela apurada para o mesmo período de 2016, registrando o pior desempenho das atividades turísticas para esse período em três anos.
“Apesar da tendência recente de uma menor variação dos preços dos serviços típicos dessa época do ano, a retração real de renda tem imposto a necessidade de ajustes frequentes no orçamento das famílias através da postergação dos gastos não essenciais, tais como lazer”, explicou Fabio Bentes, economista da Confederação.
Considerando os estados, o Rio de Janeiro deve concentrar a maior parte dos recursos, em R$ 2,4 bilhões. São Paulo vem em seguida, com R$ 1,5 bilhão. Destacam-se ainda as movimentações em Minas Gerais (R$ 332,7 milhões) e em três Estados da região Nordeste: Bahia (R$308,7 milhões), Ceará (R$140,3 milhões) e Pernambuco (R$131,4 milhões).






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS