Lojas físicas e virtuais da Casas Bahia e Pontofrio finalizam integração

Via Varejo anuncia foco no digital, após a completa integração dos negócios off e online das duas redes de eletroeletrônico. Confira a estratégia

A Via Varejo tem passado por maus bocados e os resultados consolidados do ano de 2016 refletem isso: a companhia, detentora das redes Casas Bahia e Pontofrio, mais do que dobrou o prejuízo de 2015 e verificou um prejuízo de R$ 750 milhões. Mesmo o lucro de R$ 13 milhões verificados no último trimestre do ano conseguiu dar fôlego a empresa.
Mas, para 2017, é vida nova. É que as duas marcas finalizaram a integração das suas operações online e offline no final do ano passado e, a partir de agora, a companhia entra de fato na estratégia multicanal.
A sinergia one-off de estoque de R$ 325 milhões foi capturada em dezembro e os planos de ação para a captura dos R$ 245 milhões de sinergias anuais já foram implementados.
A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!
“O quarto trimestre foi importante para a Via Varejo. Demos um passo fundamental para iniciar nosso processo de consolidação da nossa estratégia de longo prazo”, afirma Peter Estermann, CEO da companhia. “Concluímos a integração operacional dos nossos negócios e iniciamos um trabalho para reestruturar nosso negócio”, explica.
Segundo o executivo, “a multicanalidade já começou a ganhar força na companhia e a estratégia já mostra resultados positivos”.
Com a integração, a companhia conseguiu reduzir custos logísticos que já mostraram resultados em janeiro. As equipes também já estão totalmente integradas. “Com isso, demos início a uma jornada para criar uma cultura digital na companhia, que já tem comprovada capacidade para se realizar”, afirma o executivo.
Estermann se diz confiante com os próximos passos da companhia e já cita alguns resultados da estratégia multicanal. O click and collect, que dá a possibilidade dos consumidores de comprarem pela internet e retirarem nas lojas físicas, já está implementado nas 965 lojas da companhia. Ao todo, já são 80 mil vendas realizadas dessa forma por mês. “Este volume é três vezes o volume médio do mercado”, afirma.
Outra aposta da companhia é o marketplace, que cresceu 3% no quarto trimestre e 42% ao longo de 2016.
Segundo a companhia, com a integração, o prazo de entrega caiu 21% no mês passado, fazendo a empresa atingir uma média de 3,4 dias de entrega nas capitais e 4,8 dias considerando todo o País.
Para alavancar a estratégia, o marketing também passou por fortes mudanças. “O CRM passa a ser o cerne da nossa estratégia. Todas as nossas ações estarão inseridas na jornada dos clientes multicanais”, considera Estermann.
Segundo Flávio Dias, diretor de Comércio Eletrônico da empresa, 2016 foi um ano de reestruturação, principalmente de time e de sistema de ERP, sistema de CD e de atendimento. “Foi uma implementação robusta e complexa, que trouxe desafios para o atendimento. Tivemos um período de adaptação  e estabilização”, conta.
Dias explica que após a integração logística, que aconteceu no final do ano, a companhia iniciou uma estratégia de aumentar o nível de serviço e de experiência para o consumidor. “O que precisamos fazer agora é intensificar os processos internos”, diz.
A expectativa é que as vendas online cresçam a dois dígitos neste ano.






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS