Fnac afirma que fica no Brasil, se conseguir sócio

Segundo o grupo francês, rede busca sócio local para “continuar” no País, onde tem 12 lojas. Mas sinalizou que caso não encontre, pode sair. Entenda

A rede de livrarias e eletrônicos Fnac não sairá do País, se conseguir um sócio, segundo disse o grupo francês Fnac Darty, que detém a marca no Brasil, à agência AFP.
De acordo com a agência, o grupo busca um “sócio local” para crescer no País.
A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!
“A operação brasileira precisa ter um tamanho crítico no sentido de ser relevante e reforçar sua posição de mercado”, indicou o distribuidor de produtos eletrônicos, culturais e eletrodomésticos, em um comunicado divulgado em São Paulo.
“Devido a isso, a Fnac iniciou um processo ativo de busca de parceiro local para continuar e reforçar sua operação no país”, completa a nota.
Em uma apresentação de resultados para seus investidores, o Fnac Darty declarou, na terça-feira (28), que o grupo “começou um processo ativo para buscar um sócio que dê lugar à retirada do país”.
De acordo com a agência, a companhia não descarta a saída do País, “se não surgirem novos investidores, ou se se mantiver o atual cenário econômico brasileiro”, disse à AFP um porta-voz do grupo no País.
Apesar disso, no relatório de resultados da Fnac Darty, a operação brasileira está classificada como “descontinuada”.
Em documento da companhia francesa consta que a companhia iniciou um processo de busca por parceiros que poderá “levar a uma saída completa do País”. Além disso, o relatório diz que um banco de investimento foi enviado para identificar potenciais parceiros.
Segundo disse a empresa no documento, a Fnac Brasil é prejudicada por “falta de massa crítica em um amplo mercado consolidado”.




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS