Empresa da Havaianas aumenta lucro em 36,2%

Alpargatas registra lucro líquido de R$ 358,4 milhões no ano passado, mesmo com leve aumento de vendas. Veja a performance da companhia em 2016

A Alpargatas, empresa detentora da Havaianas, Osklen, Topper, Mizuno, Dupé e Meggashop Outlet, conseguiu aumentar o lucro líquido em 36,2% no ano passado, para R$ 358,4 milhões.
O crescimento veio mesmo com uma leve alta nas vendas, de apenas 0,4% ao longo do ano. Ao todo, a receita líquida da companhia somou mais de R$ 4 bilhões. O crescimento na receita líquida poderia ser bem maior, não fosse o desempenho das vendas da companhia no mercado internacional, que caiu 3,3%. Na Argentina, o recuo foi de 24,1%.
A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!
“O marco no desempenho da Alpargatas em 2016 foi a evolução dos negócios no Brasil, cujo resultado se destacou na comparação com o de outras empresas nacionais de bens de consumo”, disse a empresa em relatório.
“Mesmo em um ano de forte retração no consumo, resultante das adversidades na economia, a Alpargatas continuou a inovar, crescer no varejo e investir nas operações internacionais e em projetos estruturantes e encerrou negócios que não traziam o retorno esperado”, disse a companhia. A empresa refere-se à Timberland, cuja licença foi encerrada no ano passado.
Ao longo do ano, a empresa um crescimento de 11,5% no volume de sandálias no mercado interno, o que levou ao ganho de dois pontos de market share da companhia.
A Alpargatas fechou 2016 com 29 novas lojas Havaianas no Brasil e 17 no exterior, totalizando 578 pontos de venda da marca. O varejo da Alpargatas encerrou o ano com 698 lojas no mundo.
Nesse sentido, a companhia entrou e mais quatro países: Croácia, Eslovênia, Suíça e Canadá; e inaugurou o segundo Centro de Distribuição de sandálias da Europa, na Bélgica. Além disso, a empresa lançou a plataforma de e-commerce da Osklen.
Ao todo, a companhia gerou um caixa operacional de R$ 288,3 milhões.

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS