Mulheres sofrem mais com o estresse do que os homens

Estudo inglês descobriu também que eventos simples como perder o celular ou o trem podem ser tão estressantes quanto terrorismo

Por: - 2 anos atrás

Shutterstock

Quem sofre mais com o stress? Aparentemente, as mulheres são mais vulneráveis às preocupações do dia a dia do que os homens. A descoberta veio de uma pesquisa com 2 mil pessoas, realizada na Inglaterra pela Sociedade de Fisiologia (Physiological Society). Veja aqui.

As respostas dos entrevistados apontaram que o gênero e a idade influenciam muito quando o assunto é estresse. Elas também revelam que, como era de se esperar, eventos importantes como a perda de um ente querido ou uma doença terminal são o topo da lista dos motivos para preocupações. No entanto, coisas simples e corriqueiras, como perder o celular, podem desencadear tanto estresse quanto um evento super traumático como uma ameaça de atentado terrorista.

A pesquisa listou 18 eventos possivelmente traumáticos e pediu para os respondentes os avaliarem em uma escala de 0 a 10, sendo 0 algo completamente livre de stress e 10 algo completamente estressante. Na lista de eventos, claro, há situações que dizem respeito aos ingleses, como a possibilidade de sofrer um ataque terrorista.

Mulheres

As notas atribuídas aos eventos foram maiores entre mulheres do que entre homens, mostrando que elas estão mais suscetíveis ao estresse do que eles, especialmente em eventos simples do dia a dia. Elas reportaram, por exemplo, se estressar muito mais com a possibilidade de um atentado terrorista, questões relacionadas à saúde ou a mudança de residência.

Uma possível explicação para isso seria o fato de elas se sentirem mais cobradas pela sociedade. Para a líder do Comitê da Sociedade de Fisiologia, Dra. Lucy Doladson, “Isso pode ter um impacto significativo na saúde das mulheres”.

Motivos para se preocupar

Um dos assuntos que não tem tanta diferença entre homens e mulheres é o nascimento do primeiro filho. A avaliação de ambos os sexos foi semelhante, sendo causa de mais stress para quem tem entre 25 – 34 anos.

A idade, aliás, é um fator importante. A pesquisa revela que o estresse certamente se atenua com o tempo. Também pode ser maior para aqueles com mais estudo.

De modo geral, dirigir pode causar bastante stress. Diversos eventos relacionados à atividade podem ser preocupantes: carros quebrados, trânsito, rodovias, motoristas descuidados. Outro tema importante é o cuidado com outras pessoas, sejam elas idosas, doentes ou com necessidades especiais. Os bichinhos de estimação também: doenças ou a morte dos pets são fatores bastante estressantes.

Mundo moderno

Para a Dra. Lucy Doladson, o mundo moderno traz fatores atenuantes do estresse que não eram sequer imaginados há 50 anos, como as redes sociais ou os smartphones.

A Sociedade de Fisiologia quer usar o estudo para entender os efeitos do estresse no corpo humano. Durante os momentos de muita preocupação, o corpo se prepara liberando hormônios na corrente sanguínea. Isso pode afetar tanto o coração quanto os sistemas digestivo e imunológico.

“Enquanto muitas pessoas estão cientes dos efeitos psicológicos do estresse, elas precisam prestar mais atenção aos efeitos para o corpo. Quando o stress é prolongado, os efeitos no corpo podem resultar em doenças como úlcera ou aumento do risco de ataque cardíaco”, alerta a Dra. Doladson.

Fernanda Pelinzon/ Grupo Padrão

Fernanda Pelinzon/ Grupo Padrão