Conheça o app que funciona como um Tinder do mercado de trabalho

A Startup Empreguei tem como proposta mudar a relação entre empregador e candidato. O serviço já funciona e conta com mais de 500 empresas cadastradas

Shutterstock

Um dos temas mais delicados que têm ocupado a mente dos brasileiros nos últimos tempos é o desemprego. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desocupação no Brasil aumentou 14,9% no trimestre completado em março, em comparação com o período anterior. No fim do terceiro mês havia 14,2 milhões de desempregados no país.

Dentro desse cenário, toda ferramenta que seja capaz de auxiliar o cidadão que precisa de um trabalho será bem recebida. Um exemplo nesse sentido é a Empreguei, uma plataforma que aproveitou um gap que existia nesse mercado e, com uma proposta diferente, pretende revolucionar o processo de recolocação profissional.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

A ferramenta é baseada na “tecnologia match” – como um Tinder do trabalho. Utilizando esse serviço, os envolvidos podem dizer sim ou não para as vagas e os perfis apresentados na tela. A plataforma – que consiste em um site e um aplicativo – realiza a ponte entre o candidato e vagas operacionais/empregador e funciona como um facilitador e agilizador no processo de recrutamento. Dessa forma, cria um ambiente favorável para que as duas partes se encontrem de forma sustentável.

“As opções disponíveis no mercado ainda são pouco resolutivas. Algumas são muito burocráticas, outras estão tecnologicamente atrasadas, outras são focadas apenas no segmento executivo, outras cobram sem oferecer garantia alguma”, comenta Marcio Furtado, idealizador e diretor da Empreguei. Para ele, a conclusão disso é que as empresas acabam recebendo currículos que não se encaixam nas vagas disponíveis – normalmente apenas 10% estão dentro do perfil solicitado – e os candidatos, que já estão desempregados, acabam gastando tempo e dinheiro..

A empresa

A Empreguei surgiu da necessidade de inovar relação entre candidato e recrutador, tornando o processo mais prático, dinâmico e gratuito. Para as empresas, é uma ferramenta online que permite o recrutamento assertivo, com uma avaliação rápida do perfil do profissional e contato direto com o candidato, sem a necessidade de avaliação de CVs, eliminando várias etapas e gerando ganho de tempo. Além disso, funciona também como um suporte para as pequenas empresas, que na maioria das vezes não contam com um departamento de Recursos Humanos.

Para os candidatos, o ganho é duplo: tempo e dinheiro. A proposta da Empreguei é inverter o processo de “procurar emprego” para “deixe que ele te encontre”. A partir do momento em que o candidato coloca seu perfil no aplicativo, a cada nova vaga que entrar buscando um perfil com suas características, ele receberá uma notificação online, onde estiver, para se candidatar à vaga.

Como utilizar

A plataforma está disponível em site, no Facebook e em celulares que usam o sistema Android. Para participar dela, basta preencher um cadastro e aguardar o contato dos empregadores que buscam profissionais com o seu perfil. “Não há burocracias nem qualquer custo para o candidato, acreditamos que desta forma, não penalizamos duplamente aquele que já se encontra em uma situação difícil que é o desemprego”, explica Furtado.

No ar desde julho de 2016, a startup tem o apoio da Endeavor Brasil, e conta atualmente com mais de 500 empresas cadastradas e milhares de candidatos na sua base de dados. “Queremos ampliar esses números e desempenhar um papel social que acreditamos ser importante, sobretudo no segmento do trabalho operacional, onde há uma demanda reprimida de ambas as partes”, conclui o executivo.

 

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

O que esperar da parceria entre Nike e Centauro?

Home office é tendência de trabalho para 2020: veja 5 dicas

“Parasita”: Pessoas, baratas, parasitas e a diluição da identidade

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

Quais são as tendências para 2020. Veja a lista

VEJA MAIS