Planejamento é essencial para não se endividar no Dia das Mães

Pesquisa do SPC Brasil e da CNDL mostra que um grande número de brasileiros vai comprar presentes mesmo com contas em atraso

Por: - 2 anos atrás

Shutterstock

No Dia das Mães deste ano, 109 milhões de brasileiros devem ir às compras, aponta uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) junto a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). A maior parte (38%) planeja gastar a mesma quantia que em 2016, enquanto 27% pensam em diminuir. Os consumidores que não vão comprar presentes representam 25% da amostra e os indecisos são 2%.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Apesar de apontarem a necessidade de economizar como a razão mais forte para gastar menos em 2017 (mencionada por 46%), muitos dos consumidores que pretendem comprar na data já extrapolaram seu limite de endividamento. Três em cada dez (28%) entrevistados declararam ter atualmente alguma conta em atraso, percentual que sobe para 32% entre as pessoas da classe C.

Ao mesmo tempo, 12% dos entrevistados admitiram ter o hábito de gastar mais do que podem para presentear as mães e 3% chegaram a ficar com o nome sujo por causa das compras realizadas na mesma data do ano passado.

“O consumidor precisa fazer com que o presente caiba no orçamento. Antes de sair para as compras é essencial que ele analise suas contas e seus gastos básicos e defina com clareza o quanto pode gastar”, destaca a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

É imprescindível se planejar para realizar as compras. Afinal, uma data comemorativa não deve virar motivo de tristeza quando as contas chegarem, certo? “A pesquisa de preços é uma grande aliada nesses momentos e será realizada por 75% dos compradores neste ano, pelo que apontou o nosso estudo”, lembra a especialista.

Na ponta do lápis

A mesma pesquisa traz um quadro positivo quando o assunto é educação financeira. O pagamento a vista será o meio mais utilizado pelos consumidores, citado por 65% da amostra, sendo que em 58% dos casos o pagamento será em dinheiro e em 6%, no cartão de débito.

O cartão de crédito será usado por 23% dos entrevistados, seja em parcela única (7%), em várias parcelas (14%) ou no cartão de loja (2%). O número de parcelas escolhidas pelo público fica, em média, em até quatro vezes.

Considerando a soma de todos os presentes adquiridos, o gasto médio do brasileiro no Dia das Mães deve girar em torno de R$ 127, sendo que entre os indivíduos da classe C esse valor cai para R$ 112. Mais da metade (52%), contudo, não sabe o quanto irá gastar com os presentes.

A maioria (52%) dos consumidores ouvidos pela pesquisa acredita que os produtos estão mais caros do que em 2016, sendo a crise econômica (65%) o principal motivo mencionado. Há, ainda, 30% de entrevistados que creditam o aumento dos preços ao fato de ser uma data comemorativa. Apenas 5% estão com a percepção de preços mais baixos neste ano.