Waze revela quais são os principais destinos de compras para o Dia das Mães

O aplicativo Waze avaliou as rotas dos consumidores em datas próximas ao Dia das Mães e descobriu onde os varejistas devem investir. Confira

Infográfico: Fernanda Pelinzon, Grupo Padrão

O segundo domingo de agosto tende a gerar ansiedade no comércio brasileiro. E isso não acontece por acaso. Essa é a segunda data mais importante em volume de vendas para o varejo do país, perdendo apenas para o Natal. Mas, afinal, aonde será que os consumidores vão para fazer as compras de Dia das Mães?
O aplicativo de mobilidade Waze avaliou os caminhos percorridos pelas pessoas nos dias que antecederam o Dia das Mães em 2016, com o objetivo de entender onde os milhões de usuários brasileiros vão para comprar presentes. Os resultados são curiosos: segundo o app, quanto mais perto do segundo domingo de maio, maior a navegação para destinos típicos dos consumidores nessa época, como floriculturas e shoppings.
Nesse sentido, é perceptível que as flores ainda representam um grande presente: as rotas para floriculturas crescem 225% no próprio Dia das Mães, enquanto as idas para centros de compras aumentam 35% na sexta e no sábado que antecedem a data.

Oportunidades

O estudo feito pelo Waze ajuda marcas a encontrarem oportunidades de atingirem seus públicos. Para varejistas, é importante ressaltar que a categoria de shoppings é a maior do Waze — o que mostra uma ótima oportunidade para marcas investirem em marketing mobile e impactarem os consumidores que estiverem indo fazer compras ou passeando pelas redondezas.
Os restaurantes, locais que costumam ser visitados pelas famílias no Dia das Mães, estão em segundo lugar no volume de navegação geral no Waze.

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS