Consumidor.gov.br ajuda na renegociação de dívidas com bancos

A iniciativa vai até o dia 31 de maio. Nesse período, as instituições financeiras vão realizar uma força-tarefa para solucionar as dívidas dos consumidores

Shutterstock

Ótima notícia para quem tem dívida e gostaria de renegociar o débito com o seu banco. O Ministério da Justiça realiza, pela segunda vez, a ação de renegociação de dívidas no Consumidor.gov.br, plataforma online de solução de conflitos de consumo. A iniciativa começou no último dia 8 e termina no próximo dia 31 de maio. Dentro da plataforma, as instituições financeiras de todo o país irão realizar uma força-tarefa para solucionar as dívidas de consumidores.

Como negociar a dívida?

Para participar, o consumidor ou MEI (Micro Empreendedor Individual) deve acessar a plataforma Consumidor.gov.br e fazer o registro para receber um login e senha. Após essa etapa, basta selecionar uma instituição financeira cadastrada e formalizar a solicitação de renegociação de débitos. Depois de finalizar o registro, o banco ou instituição financeira tem prazo de até 10 dias para apresentar uma proposta ou resposta.

No momento da classificação do pedido ou reclamação, é importante selecionar no campo “Problema” a opção “Dificuldade na Renegociação/parcelamento de dívida”. Já no campo “Descrição da Reclamação”, você irá relatar o problema, informando que deseja participar da ação de renegociação de dívidas.

Após finalizar o registro da demanda, o banco ou instituição financeira tem prazo de 10 dias para apresentar proposta ou resposta. Após a resposta, você terá 20 dias para avaliar se o atendimento prestado foi satisfatório ou não. Durante esse prazo, há a possibilidade de interagir com a empresa, anexando documentos e complementando a reclamação, por exemplo.






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS