Campanha da Petz substitui amor que não deu certo por animal adotado

Ação feita pela Petz em prol da adoção de animais propõe uma solução para pessoas que tatuaram o nome do ex. Veja o vídeo

Por: - 2 anos atrás

Shutterstock

Você já tatuou o nome de algum namorado ou namorada em algum lugar do corpo? São muitas as pessoas que tomam a decisão de registrar na pele o nome de alguém querido. Essa pode até ser uma prova de amor – o risco é que o relacionamento acabe e a tatuagem fique. Nesse caso, quais são as opções? Há muitos indivíduos que optam por cobrir o nome, fazendo outra imagem – e essa alternativa nem sempre fica legal.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

A Petz desenvolveu uma ação para quem vive esse problema. Na campanha “Ame de Novo”, criada pela Ogilvy Brasil, a empresa visa incentivar a adoção de animais abandonados, mostrando que o amor de um pet é para sempre. A partir de uma parceria com o Tattoo You, estúdio de tatuagem de São Paulo, a campanha abordou pessoas que procuraram um profissional para apagar o nome do ex. Na hora de tatuar, veio a surpresa: em vez de passar pelo procedimento, era oferecida a adoção de um cachorro ou gato que tinha na coleira o mesmo nome a ser apagado. A ideia era fazer com que o nome ganhasse um novo sentido. “Como veterinária responsável pelo programa de adoção, vejo que participar deste projeto foi a visão de um novo começo e uma nova chance para as pessoas e os animais”, diz Giulliana Tessari, veterinária responsável pelo projeto Adote Petz.

Conscientização

Toda a ação foi filmada e está sendo usada nos canais da Petz com o objetivo de sensibilizar as pessoas quanto à questão da adoção de animais. “O conceito deste projeto – o amor de um pet é para sempre – é muito valioso, porque é de fato verdadeiro. Às vezes, o nosso sentimento por um outro ser humano pode aumentar, regredir, mudar, acabar, nascer, morrer. Mas por um animal de estimação, não. Só cresce, só aumenta ao longo do tempo e da convivência. E quem tem um cachorro, um gato, sabe disso”, diz o diretor de criação da Ogilvy Brasil, Márcio Fritzen.

Segundo a Agência de Notícias de Direitos Animais (Anda), a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que só no Brasil existam mais de 30 milhões de animais abandonados, entre 10 milhões de gatos e 20 milhões de cães. Em cidades de grande porte, para cada cinco habitantes há um cachorro. Desses, 10% estão abandonados. No interior, em cidades menores, a situação não é muito diferente. Em muitos casos o número chega a 1/4 da população humana.

Os pets que participaram do vídeo eram da ONG Projeto CEL, que realiza eventos de adoção todos os sábados na unidade marginal Tietê da Petz, em São Paulo, das 14h às 20h.

Veja o vídeo: