Incêndio em prédio de Londres começou com uma geladeira

O modelo FF175BP, da marca Hotpoint, iniciou o fogo que causou a morte de 79 pessoas na torre Greenfell

Natalie Oxford – 14.jun.2017/AFP

As causas do incêndio que matou 79 pessoas na torre Greenfell, ocorrido no último dia 14, em Londres, vêm sendo apresentadas pela polícia do Reino Unido. Nesta sexta-feira (23), investigadores britânicos afirmaram que o fogo iniciou por conta de um defeito em um freezer da marca Hotpoint, controlada pela americana Whirlpool.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

De acordo com a superintendente do departamento de investigação, Fiona McCormack, o modelo FF175BP não teve nenhum histórico de recalls. A geladeira foi produzida entre 2006 e 2009 e, segundo a Hotpoint, 64 mil unidades foram fabricadas e vendidas neste período.

Logo após o anúncio das autoridades britânicas, a Whirlpool se posicionou. Por meio de nota, a empresa afirmou que “palavras não conseguem expressar a nossa tristeza por esse acontecimento.” A fabricante ainda reitera que está trabalhando com as autoridades nas investigações e que se posicionará quando tiver mais novidades.

O secretário de Comércio da Inglaterra, Greg Clark, afirmou à agência de notícias Reuters que está em contato com a Hotpoint para resolver possíveis problemas em outras geladeiras.

“Eu deixei claro para a fabricante que espero que eles troquem, sem atraso, quaisquer itens que impliquem em risco de uso”, disse.

Entenda o caso

No dia 14 de junho, um incêndio de grandes proporções tomou conta do prédio Greenfell, em Londres. O prédio de 24 andares e 127 apartamentos foi rapidamente consumido pelas chamas por conta de falhas no isolamento e ladrilhos que revestiam o prédio, apontou as investigações.

Ao menos 79 pessoas morreram e outras 78 ficaram feridas. Algumas vítimas ainda não foram identificadas.






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS