Uma dose saudável de inovação

Com a ajuda da tecnologia, empresas da área de saúde se reinventam para atender melhor os clientes e se distanciar da concorrência

Nos últimos anos, o mercado de saúde tem encontrado na tecnologia um dos seus principais motores de crescimento. Um relatório divulgado pela Accenture mostra que uma das grandes tendências digitais na área é, justamente, a automação inteligente. É o que tem feito a GE Healthcare. Considerada uma das empresas mais inovadoras do mundo, a companhia pretende investir até o ano que vem 500 milhões de dólares em softwares e engenheiros especializados.

Por aqui, ela tem se unido a parceiros para se aproximar dos clientes. Uma das ferramentas usadas pela empresa no Brasil é o WhatSAC, solução baseada no  famoso aplicativo de troca de mensagens e que permite que engenheiros da companhia atendam, remotamente, clínicas e hospitais de diversas regiões do País. A agilidade é fundamental para que equipamentos usados em exames como mamografias, ultrassons e tomografias computadorizadas sejam reparados no menor tempo possível.

WhatSAC

O WhatSAC é utilizado desde o início do ano por 83 engenheiros da área de suporte da GE Healthcare. “Esse é um app com o qual eles já estão familiarizados, o que facilita a sua adoção”, diz Carla Marangão, head de operações para customer service center da GE Healthcare Latam. A comunicação com menos ruídos entre engenheiros e atendentes reduziu em 10% o número de ligações feitas à central de atendimento. “Hoje, 27% dos engenheiros usam a solução. Por isso, a tendência é que as chamadas caiam ainda”, diz Lucas Mancini, CEO da Voxline Total Interaction, empresa responsável pela implementação do WhatSAC.

É dela também a interface usada entre o suporte técnico da GE Healthcare e seus clientes. A tecnologia permite que os atendentes tenham uma noção exata do tempo de espera de cada uma das oito mil chamadas recebidas por mês. “Com isso, alcançamos um percentual de apenas 5% de desistência de um chamado”, diz Carla. Para Lucas Mancini, a parceria entre empresas de saúde e de tecnologia tem sido cada vez mais comum – e urgente. E os stakeholders têm ciência disso. A mesma pesquisa da Accenture mostra que 39% dos executivos da área acreditam que adotar um modelo de negócios baseado em plataforma é fundamental para se distanciar da concorrência. Afinal, a tecnologia não prolonga só a vida dos pacientes; ela também proporciona vida longa aos negócios.

A saúde dos negócios

Uma pesquisa recente mostra como a digitalização é percebida por executivos da área de saúde:

39% acreditam que adotar um modelo de negócios baseado em plataforma – e se engajar em ecossistemas de parceiros digitais – é fundamental para o sucesso dos seus negócios

86% dos executivos da área de saúde concordam que as organizações estão cada vez mais pressionadas a se reinventar e a evoluir, antes que sofram uma disruptura externa ou de seus concorrentes

TOP 3

Os setores de saúde, bancário e de biotecnologia são, do ponto de vista dos executivos, os que mais sofrerão disrupturas digitais nos próximos três anos

Fonte: Accenture Technology Vision 2016 – Saúde Digital




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS