Falta de crédito em maio atingiu as compras de 25% dos brasileiros

Pelo menos 25% dos entrevistados tentaram fazer compras a prazo ou empréstimos, mas não conseguiram por falta de crédito disponível

Um entre quatro brasileiros tentaram fazer uma compra a prazo ou contratar empréstimos e investimentos, mas não conseguiram por falta de crédito. Os dados são referentes a tentativas realizadas em maio deste ano.
A SPC Brasil e CNDL, instituições que realizaram o levantamento, apontam duas principais razões para a recusa do crédito. A primeira delas foi o fato dos consumidores estarem com o nome sujo e a outra é a falta de comprovação de renda.
A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

Acesso ao crédito

O levantamento constatou ainda que 46% dos brasileiros consideram difícil ou muito difíceis conseguir empréstimos ou financiamento. Enquanto apenas 13% dos brasileiros consideram o acesso ao crédito um processo fácil.
A facilidade, no entanto, não é visto como um aspecto positivo pelos economistas. É o caso de Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil, que alerta o consumidor para possíveis armadilhas ao conquistar o crédito.
“Crédito fácil e desburocratizado pode parecer algo positivo para quem precisa de dinheiro imediato para resolver um problema financeiro. Em muitos casos, porém, a contrapartida da agilidade e do crédito farto é a cobrança de taxas de juros muito elevadas. Nesses casos, se o consumidor não analisar a sua capacidade de pagamento, ele poderá ficar inadimplente e desajustar todo o seu orçamento”, alerta.

Brasileiro não quis crédito

Ainda sobre o levantamento de maio, seis em cada dez consumidores optaram por não usar nenhuma modalidade de crédito seja ele cartão, empréstimos, financiamento ou crediários.
Quarenta e dois por cento disse ter usado menos uma modalidade de crédito no mês, sendo os cartões de crédito os mais usados seguidos de cartões de loja e crediário.

Tipo de uso

As compras de supermercado lideraram o uso do cartão de crédito, com 65% dos entrevistados. Em seguida aparecem os gastos com remédio e farmácia, vestuário, combustível e gastos com bares e restaurantes.
De forma geral, dentre as pessoas que usaram cartão de crédito em maio, a maioria conseguiu diminuir o valor da fatura. Outros 38% disseram que mantiveram o valor estável e 33% aumentaram os gastos.






MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS Prêmio Consumidor Moderno

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS