Projeto de dados cumulativos é aprovado em Comissão no Senado

Hoje, o dados móveis não consumidos simplesmente desaparecem e não se acumula para o próximo mês. Um projeto de lei quer mudar esse cenário

Shutterstock

No último dia 5, a Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado aprovou o projeto de lei que autoriza o acúmulo de internet móvel não usada para o futuro. De autoria do senador Dário Berger (PMDB-SC), a matéria segue para a Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor (CTFC) e, posteriormente, poderá ir ao plenário do Senado para a votação nominal.

Na justificativa anexada ao projeto de lei, o senador afirma que “as operadoras de telefonia celular, nos planos de conexão à internet em banda larga móvel, estabeleceram como política comercial cobrar de seu usuário um volume adicional de dados quando o mesmo ultrapassa a franquia contratada. Não havendo o pagamento suplementar, o serviço é, automaticamente, suspenso. O inverso, no entanto, não é verdadeiro”.

Berger explica que o consumidor consome menos que o volume de dados adquirido, esse saldo simplesmente some. Não pode ser aproveitado pelos usuários nos meses posteriores, em benefício das operadoras. Nesse sentido, “a iniciativa em tela tem o objetivo de corrigir essa distorção, prevendo como direito do usuário dos serviços de banda larga móvel a possibilidade de acumular e utilizar, a qualquer tempo, o saldo não utilizado de seu pacote de dados”.

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS