Vida online: quais são os principais influenciadores de compras por impulso?

Mesmo com as contas planejadas, alguns brasileiros ainda não conseguem controlar as compras por impulso – e dois canais têm influência direta nisso. Veja

Por: - 2 anos atrás

Shutterstock

O período de recessão econômica deixou os brasileiros bastante cautelosos quanto às finanças pessoais. Uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) aponta que, atualmente, a maioria (83%) dos consumidores planeja suas compras online antes de colocar em prática. Mesmo assim, algumas distrações digitais conseguem gerar compras por impulso.

Os principais motivos apontados pelos entrevistados são e-mails de loja (e-mail marketing), com 44%, e publicações no Facebook – 31% mencionam produtos nos perfis das marcas e 30% produtos compartilhados pelos amigos. Cerca de 16% dos consumidores não planeja compras online.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

De olho nos descontos

Quando os usuários se deparam com anúncios em sites ou redes sociais, a principal razão para realizar a compra é o produto estar em promoção (56%) e não querer perder as oportunidades de preços baixos (43%). Os produtos mais comprados por impulso são os vestuários, calçados e acessórios (30%), livros (24%), cosméticos (15%) e comida delivery (14%).

Abandono do carrinho

A pesquisa mostra que sete em cada dez consumidores (69%) já desistiram de uma compra no momento do pagamento, especialmente depois de verificarem o valor do frete (33%), um prazo de entrega demorado (21%) ou não ter certeza da compra (15%).

Segundo o educador financeiro do SPC Brasil e do Meu Bolso Feliz, José Vignoli, “o consumidor sabe que comprar pela internet envolve muito mais do que simplesmente escolher o menor preço. Embora o custo seja uma preocupação sempre presente, as pessoas também procuram informar-se sobre o prazo para receber o produto, sua qualidade e como é o relato de outros compradores sobre determinado item”, aponta.

Os preferidos

Quase todos os entrevistados pelo levanamento (99%) afirmam realizar algum tipo de pesquisa de preço antes de comprar em um site ou aplicativo e 68% se informam sobre as reclamações de outros consumidores em sites especializados quando compram um produto em uma loja desconhecida.

Os produtos mais pesquisados antes da compra virtual são os de informática e tecnologia (25%) e serviços de telefonia, celular e internet (23%). Os tipos de informação mais pesquisados são preços (60%), comentários de outros clientes (60%) e qualidade dos produtos (52%).

Nove em cada dez entrevistados (88%) costumam comprar com desconto, especialmente por meio de promoções (59%) e por meio de cupons de desconto (44%).