Chatbot da Budweiser vende cerveja pelo Twitter e nós vamos te dizer se funciona

Budweiser firma parceria com Twitter e agora usuários podem pedir e pagar cerveja pela rede social. Nós te explicamos como isso funciona

Para quem é tuiteiro raiz não existe local mais legal para estar na internet do que a rede social do passarinho azul. Em pouco tempo, o Twitter virou uma ótima ferramenta de contato rápido entre consumidores e marcas, por vezes acumulando a função de SAC, marketing e, claro, fazedor ou comentador de memes!
Agora, imagina quando os usuários souberem que a rede social fechou parceria com a Budweiser Brasil e deixa você pedir e pagar sua cerveja pelo site ou aplicativo?!
A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!
Assim como aconteceu com o anuncio do iFood Guru, o chatbot da empresa de delivery, também corremos para experimentar o robô cervejeiro. Afinal, agora é possível resolver as compras do happy hour sem perder as melhores piadas da internet.

1. Como chegar lá

O primeiro passo, claro é entrar na sua conta do Twitter. Depois disso é preciso buscar o perfil da cervejaria, o @Budweiser_BR. Esse passo é importante porque é por meio de Mensagens Diretas (DM, na sigla em inglês e na linguagem do Twitter) que o chatbot funciona, e ele só estará disponível para você na página da cervejaria. A partir de agora que começa a experiência.
Impressão: Os tuiteiros vão tirar esse passo a passo de letra, mas quem usa pouco a rede social pode ter dificuldades de encontrar onde fica o botão de Mensagens Diretas. A dica é: Pergunte do seu parente mais novo, provavelmente ele ajudará você.

2. “Hey, bem vindo!”

A Budweiser acertou em cheio no primeiro contato. Isso porque, assim que o usuário inicia uma mensagem direta, o robô automaticamente te recebe com um GIF que é uma comunicação muito comum na rede social.
A linguagem natural e descolada do bot também é um ponto positivo para a experiência. Após o GIF, o robô se apresenta e pede para que você diga, por meio de botões clicáveis, qual cidade você está. Como a função por enquanto só funciona em São Paulo, as opções que aparecem são: São Paulo e Outros. Escolhemos e seguimos.
Impressão: A forma como o robô cervejeiro se comunica com o usuário facilita toda a interação. Na maior parte da conversa, temos a impressão que estamos falando com um amigo da rede social. A parte negativa é semelhante ao dos outros chatbots: Ele não entende o que você fala, só as opções que te oferece para clicar.

3. Para que você quer a cerveja?

Após você dizer a cidade e o endereço completo que você quer receber a bebida, o robô te questiona se o pedido será para comemorar alguma data em especial. As opções clicáveis são: “Quero Budweiser para o Mês do Rock!”, “Quero Budweiser para assistir UFC”, “Quero comprar Budweiser e mais produtos”.
Como uma boa fã de rock, optei por comemorar o mês. A partir de então, o robô me pergunta se eu quero receber minhas cervejas depois de amanhã ou daqui 5 dias.
Impressão: Não há diferença o oferecimento de opções de bebidas para cada comemoração (sim, nós testamos as três), então não entendemos muito bem porque eles criaram esse passo. De qualquer forma, achamos ruim o fato de ter poucas opções de data de entrega.

4. “Mês do rock e Budweiser, uma combinação sem igual”

Nessa etapa a Bud oferece seis kits disponíveis para a compra. As combinações usam caixas de garrafas, de caixas e copos da cervejaria. Os preços variam de R$ 20,94 a R$ 79,90. Pedi uma caixa de seis garrafas de 343 ml por R$ 20,94, já com a taxa de entrega!
A partir daí é possível escolher quantos dessa opção você quer: 1, 2 ou 3 desse kit selecionado.
Impressão: As poucas opções de kits são um pouco desanimadoras, mas temos uma boa notícia! Comparamos o preço da mesma opção com os principais mercados da cidade e o valor médio, para São Paulo, é de R$ 22,74 a caixinha sem a taxa de entrega.

5. Pagamento

O principal diferencial desse chatbot, no entanto, é o pagamento. O usuário conclui toda a compra durante a conversa, incluindo o pagamento por meio de cartão de crédito.
O robô explica que o valor é computado na fatura em até 24h e que as informações não serão gravadas pelo Twitter ou Budweiser e que serão automaticamente deletadas.
Impressão: Não chegamos a concluir a compra, mas a ideia de pagamento pela rede social é, sem dúvida, um ponto positivo. Afinal, quanto menos bloqueio para a compra, melhor para a empresa e o cliente.

Cadê o resumo, ô NOVAREJO?

De modo geral achamos o chatbot da Budweiser em parceria com o Twitter muito legal! Diferente dos chatbots normalmente usados para pedidos, esse realmente mantém uma conversa natural e ajuda o cliente a concluir a compra.
Os pontos negativos, no entanto, já são conhecidos: O robô não reconhece o que o usuário escreve e limita a experiência com botões clicáveis previamente programados. As opções dos kits também não criam ânimo, apesar de preços para todos os bolsos, o ideal seria conseguirmos montar o próprio pedido.
No fim das contas ficamos animados, afinal, já estivemos mais longe de pensar em viver uma experiência como essa…

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Quanto custa abrir uma franquia de varejo no Brasil?

Home office é tendência de trabalho para 2020: veja 5 dicas

“Parasita”: Pessoas, baratas, parasitas e a diluição da identidade

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

Quais são as tendências para 2020. Veja a lista

VEJA MAIS