Dia dos Pais: brasileiros pesquisam preços desde julho para economizar

Mais de 86 milhões de brasileiros devem ir às compras no Dia dos Pais – e a pesquisa de preços já começou há um tempo, aponta pesquisa do Google. Entenda

Por: - 2 anos atrás

Crédito: Shutterstock

A instabilidade econômica pode até preocupar os brasileiros, mas, neste ano, eles estão mais interessados em comprar presentes do Dia dos Pais do que em 2016. Segundo pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 57% dos consumidores devem ir às compras na data, aproximadamente 86,1 milhões de pessoas.

O presente, como mostra o estudo, deve vir com consciência: seis em cada dez consumidores (58%) farão pesquisa de preço antes de comprar, 38% pretendem gastar o mesmo valor desembolsado em 2016 e 10% planejam até mesmo dividir o custo com outra pessoa, geralmente mãe, irmão ou outro familiar.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Uma pesquisa inédita do Google mostra que os brasileiros estão pesquisando preços para o Dia dos Pais desde a segunda semana de julho – principalmente quando o presente tem um ticket médio mais alto.

Do dia 8 ao 18 do mês passado, o interesse nas categorias eletro, móveis e smartphones acelerou mais de 3% em comparação com a semana anterior. Na semana de 23 a 28 de julho, o aumento foi observado nas categorias de uso pessoal, com menor valor, como calçados esportivos, bolsas, relógios.

Já no início de agosto, a pesquisa mostra que aumentam as buscas nas categorias do varejo e os smartphones entram no pico de interesse. Na semana de reta final, 8 a 13 de agosto, os calçados esportivos tomam a frente nas pesquisas do consumidor.

Nem tão planejados assim

Mesmo com um número considerável de consumidores planejados, 25% dos entrevistados pela pesquisa do SPC Brasil e da CNDL vão comprar mesmo com contas em atraso e 21% estão com o nome sujo. Outro dado que serve de alerta é 10% assumem o hábito de gastar mais do que podem para presentear o próprio pai e 6% vão deixar de pagar alguma conta para garantir o presente deste ano.

“O consumidor deve presentear, sim. Porém, é importante respeitar o tamanho do próprio bolso, planejar os gastos e fazer muita pesquisa de preço, dando prioridade ao pagamento à vista. Para quem está inadimplente, mesmo que os valores dos presentes possam parecer inofensivos, todo o esforço deve ser direcionado para o pagamento das dívidas”, destaca o educador financeiro do portal ‘Meu Bolso Feliz’, José Vignoli.

Preferências

No Dia dos Pais deste ano, os itens mais procurados para quem vai presentear serão as roupas (40%), perfumes e cosméticos (16%) e calçados (16%). Em seguida aparecem os acessórios masculinos, como cintos, óculos, carteiras e relógios (14%), vale-presentes (4%) e as comemorações em restaurantes (4%).

A pesquisa também mostra um percentual relevante de indecisos: um em cada cinco entrevistados (22%) não sabe ou ainda não decidiu o que pretende comprar para o pai. As pessoas mais presenteadas neste ano devem ser os pais (56%), esposos (14%), pai dos filhos (8%), filhos (7%) e sogros (6%). Há ainda 4% de entrevistados que devem se auto presentear.

A principal forma de pagamento será à vista (75%), tanto em dinheiro (66%) como em cartão de débito (9%). O pagamento via cartão de crédito, seja em parcela única ou mais de uma parcela, será escolha de 16% em ambos os casos. Entre aqueles vão dividir o pagamento, a média será de três prestações.

Locais

A primeira opção dos brasileiros para comprar é ir ao shopping Center (35%). Em seguida estão as lojas de rua (18%), shoppings populares (9%) e lojas de departamento (9%). As lojas online devem ser a preferência de apenas 2% dos compradores.

Para escolha do local de compra dos presentes, 51% levam em consideração o preço, 43% a qualidade dos produtos e 27% promoções e descontos, especialmente as classes C, D e E (30%).