Coca-Cola usa chatbot para lançar novo sabor de Fanta no Brasil

Em parceria com a McDonald’s, a Coca-Cola distribui cupons para quem quer tomar Fanta Guaraná de graça. Nós testamos o chatbot e contamos para você como é!

A Coca-Cola lançou recentemente o novo sabor de um dos seus refrigerantes mais populares. A Fanta Guaraná chega ao mercado disputando com marcas nacionais conhecidas – como Guaraná Antártica – além das bebidas de guaraná com forte apelo regional.
Na tentativa de propagar a nova bebida, a multinacional fechou parceria com a McDonald’s para distribuir Fanta Guaraná na versão normal e zero por meio de um chatbot no Messenger do Facebook.

1. Como funciona

Não há nada de muito diferente dos outros chatbots que testamos aqui na NOVAREJO. Para começar, é preciso fazer login na sua conta do Facebook e acessar o site da Fanta no Brasil.
Em seguida, é só clicar para enviar uma mensagem a Fanta e escolher a opção “Começar” disponibilizado na conversa.

2. ‘Pega aí duas fantas’

A primeira interação do chatbot com o cliente é uma frase engraçadinha cheia de rimas e emojis, transformando a linguagem ainda mais próxima da falada pela internet.
“Oi, Mariana! #TomaaíUmaNovidade que vai bancar o seu rolê: duas Fanta Guaraná de graça para você!”, foi o dito para mim na primeira interação com o robô. E a partir de então estão liberados os meus cupons para a retirada da bebida.

3. Onde retirar?

Depois que o usuário clica na única opção possível, o “Pegar meus cupons!”, a Fanta gera o código promocional que deve ser apresentada em uma das lojas do McDonald’s para a retirada de bebida.
Após receber o código, é possível pedir mais uma rodada de bebidas do novo guaraná gratuitamente ou buscar um local para retirar. A escolha da segunda opção pede acesso a sua localidade para indicar um restaurante McDonald’s mais próximo de você.

4. Chama mais gente!

A Fanta continua insistindo em dar para você – ou quem mais você escolher – bebidas da nova versão, por isso sugere que você encaminhe cupões também para os seus amigos, namorado (a) ou crush.
O processo todo continua com uma linguagem jovem e descontraída, sempre repleta de emojis e aparentemente não tem fim. Nós cansamos na terceira rodada, mas a impressão que dá é que os cupões são infinitos!

Ô NOVAREJO, dá aí o veredito!

Sinceramente ficamos com a impressão de que a integração poderia ser bem melhor. A todo o momento, com o robô nos oferecendo cupons em quase todas as etapas da interação, nos faz crer que o assistente virtual está querendo “se livrar” do cliente.
Há pouquíssima, para não dizer nenhuma, interação do usuário com o robô. As poucas respostas que o chatbot oferece são combinadas em uma experiência de contato com o robô quase com nenhuma inteligência artificial.
A nossa conclusão é: A ideia do chatbot é ótima, mas do jeito que foi feito pareceu mais uma entrega de cupom que poderia ser realizada de qualquer outra forma. E a sensação ao experimentar foi que uma boa ideia não necessariamente causa uma boa experiência ao consumidor.

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Quanto custa abrir uma franquia de varejo no Brasil?

Home office é tendência de trabalho para 2020: veja 5 dicas

“Parasita”: Pessoas, baratas, parasitas e a diluição da identidade

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

Quais são as tendências para 2020. Veja a lista

VEJA MAIS