47% dos brasileiros já se endividaram por culpa de problemas emocionais

Preocupação com problemas financeiros e ansiedade são algumas das razões da inadimplência. Veja algumas medidas tomadas para resolver essa situação

Por: - 2 anos atrás

Shutterstock

A inadimplência tornou-se um fantasma bastante presente na vida dos brasileiros nos últimos anos. A recessão pegou bastante gente desprevenida por causa dos juros altos e falta de empregos, mas também precisamos admitir que a educação financeira não é o forte nacional. Um levantamento recente realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) aponta o quanto ter uma dívida é prejudicial para os consumidores.

As contas atrasadas geram comportamentos, sentimentos e impulsos. A pesquisa mostra que 47% dos inadimplentes estava com algum problema emocional que contribuiu para a geração da dívida. Os principais gatilhos apontados são lidar com problemas financeiros (14%), ansiedade (12%), insatisfação no trabalho (9%) e problemas no relacionamento familiar (7%).

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Levando em consideração os devedores que admitem o descontrole financeiro ou acesso ao crédito fácil como causa da inadimplência, quase um terço (32%) afirmou que quis aproveitar uma promoção e acabou realizando uma compra sem avaliar o próprio orçamento – percentual que cresce para 46% entre jovens de 18 a 34 anos.

Esforço para mudar

A pesquisa mapeou que, entre os brasileiros que alegaram descontrole em suas compras, 53% tentaram mudar seus hábitos para lidar com a situação. As principais atitudes tomadas são anotar as despesas e gastos (27%), diminuir as saídas com amigos gastadores (18%) e até mesmo evitar de sair com o cartão de crédito na carteira (16%).

Ao mesmo tempo, 47% admitiram não ter mudado qualquer conduta, principalmente por acreditarem que a dívida não é um grande problema para o seu dia a dia (20%) ou que a situação não as incomoda (11%).

Após contrair a dívida, a maioria (82%) desses inadimplentes reconhece não ter procurado ajuda para frear os próprios impulsos, principalmente por acreditarem que conseguem resolver sozinhos essa situação (48%). Apenas 18% procuraram algum tipo de auxílio para colocar as contas em ordem, seja de um amigo (6%) ou um profissional especializado (6%).

Principal vilão

Segundo a pesquisa, realizada em todas as capitais brasileiras, o desemprego figura como a principal causa da inadimplência no Brasil. Dentre os consumidores que possuem contas em atraso, mais de um quarto (26%) culpa a perda do emprego, percentual que sobe para 27% quando considerado somente os indivíduos das classes C, D e E. Em anos anteriores, o desemprego respondia por 33% (2015) e 28% (2016) como principal causa da inadimplência.