O que a Saraiva está fazendo para aumentar o fluxo das lojas físicas?

A companhia reportou queda nas vendas das lojas físicas, mas tem feito mudanças para impedir um recuo ainda maior no fluxo no canal. Veja as estratégias

Assim como parte do varejo, a Saraiva tem sofrido com o recuo nas vendas das lojas físicas, mas tem verificado um crescimento expressivo no e-commerce da marca. A companhia reportou um crescimento de 10,6% nas vendas do canal on-line.
Apesar disso, a empresa verificou um recuo de 5,4% nas vendas das lojas físicas.  “O canal lojas físicas tem sido mais impactado pelos efeitos da crise econômica e pelo fluxo de clientes em shopping centers, que ainda não apresenta uma evolução significativa”, explicou a empresa em relatório.
Para reverter o ritmo de queda nas vendas das lojas físicas, a Saraiva realiza algumas ações. Uma delas é seguir com o Projeto de Transformação, iniciativa da companhia para voltar a crescer. A empresa também está desenvolvendo um plano de ação focado em aumentar o fluxo de clientes, melhorar a experiência de compra e incrementar a taxa de conversão nas lojas.
A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

Estratégia

Para elevar o fluxo das lojas, a companhia aposta no on-line. Em parceria com o Google, a empresa aposta no em LIA (anúncios de inventário local), uma modalidade de anúncio na web para lojas físicas com recursos de geolocalização, em que os usuários se conectam com nossos anúncios disponíveis nas lojas mais próximas.
Outra ferramenta on-line da empresa é o Google Store Visits, que mensura as visitas às lojas físicas após o impacto dos anúncios de Links Patrocinados, possibilitando o gerenciamento para otimizar o retorno dos anúncios.
Nessa mesma linha, a companhia tem ainda mais iniciativas digitais para elevar o fluxo de lojas. Uma delas é a estratégia de desenvolvimento da plataforma multicanal. A companhia está na fase 2 do projeto
Saraiva Entrega, que além de viabilizar a venda de qualquer produto não encontrado na loja, também possibilitará a reserva de produtos do estoque de outras lojas e também permitir vendas do site utilizando o estoque da própria loja para a retirada.

Operacional também conta

A empresa também tem ações para otimizar o custo operacional das lojas e elevar a rentabilidade das unidades existentes. Além disso, a varejista aposta em reformas e readequação das lojas. O sortimento também está sendo revisto, com o objetivo de melhorar a saúde do estoque existente em cada loja e
aperfeiçoar os algoritmos de reabastecimento.
A Saraiva expandiu para 38 lojas o projeto de reabastecimento e tem previsão de expansão para toda a rede ao longo de 2017. Ainda na gestão de sortimento, a rede de varejo continua com a ampliação da
categoria bomboniere, atualmente presente em 84 lojas, e o redesenho da categoria de acessórios e aventura e lazer, com readequação da exposição, experimentação e sortimento.
Além disso, a Saraiva tem previsão de ampliação dos serviços de Troca Inteligente (buyback), programa em que o cliente pode oferecer o seu aparelho antigo como forma de pagamento ao comprar um novo produto, presente hoje em 84 lojas, e da Assistência Técnica Apple, oferecida em 14 unidades atualmente.
Como se vê, a empresa pode ver queda nas vendas das lojas físicas, mas está agindo para reverter a situação.






MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS Prêmio Consumidor Moderno

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS