Índice que mede falta de produtos nos supermercados cai no primeiro semestre

Um dos motivos apontado como causa da falta de produtos nas prateleiras é o aumento do consumo dos brasileiros após liberação das contas inativas do FGTS

O índice que mede a falta de produtos nos supermercados caiu no primeiro semestre do ano e se estabilizou em 10%, de acordo os dados da NeoGrid em parceria com a Nielsen. Em janeiro, o mesmo indicador marcava 11,68%.
A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!
A liberação das contas inativas do FGTS, o índice histórico de desemprego e a lenta recuperação da economia são apontada como o principal motivo para as variações do varejo e da indústria em relação ao abastecimento de produtos.

Gestão

Outro motivo, segundo as instituições, é o fato dos varejistas terem que se readaptarem as novas marcas. Isso aconteceu devido ao processo de substituição de produtos por marcas mais baratas encabeçado pelos consumidores que amargavam com a crise.
“Diante da crise, o varejo realizou promoções variadas, sem previsões assertivas; os embates comerciais nas negociações com fornecedores ficaram mais acirrados e demorados, o que gerou a falta de determinados produtos por períodos consideráveis; e alguns varejos aumentaram o volume de compras, na tentativa de melhorar o indicador”, explicou por nota Robson Munhoz, vice-presidente de operações da NeoGrid.






MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS Prêmio Consumidor Moderno

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS