Cientista de Dados: a profissão do momento

O Cientista de Dados é hoje um dos profissionais mais assediados no mercado; conheça três desses profissionais da TOTVS e saiba como eles encaram essa nova e pujante profissão

A capacidade de gerenciar um enorme volume de dados digitais se tornou estratégico hoje para qualquer empresa. Neste cenário, a busca e valorização de profissionais capazes de transformar dados (estruturados ou não) em informações sólidas para a tomada de decisão se consolidou como uma profissão em alta.

O chamado Cientista de Dados é hoje um dos profissionais mais assediados no mercado. No entanto, eles ainda são bastante escassos. Segundo a rjmetrics.com, apenas metade das mais de 12 000 vagas abertas para cientistas de dados nos EUA em 2015 foram preenchidas. No Brasil, a procura por esse profissional também é grande; Ele teve uma valorização salarial de 8,1% no último ano, segundo o Guia Salarial 2017 da Robert Half.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Ainda não existe no mercado graduação para essa área, mas a formação em Estatística, Matemática, Física ou Engenharia e um bom nível de inglês são o primeiro passo. Proatividade e conhecimento em programação, conceitos de machine learning e, sobretudo, o entendimento do modelo de negócio no qual esse profissional está inserido também são muito bem-vindos.

(da esquerda para direita) – Rafael Rui, Thiago Donato e Bernardo Aflalo , os cientistas de dados da TOTVS

Na prática

A experiência adquirida dentro das empresas pode trazer o elemento que esse profissional tanto busca para colocar em prática seus conhecimentos. Na TOTVS, há bons exemplos. Os engenheiros mecânicos Bernardo Aflalo e Thiago Donato e o físico Rafael Rui compõem hoje o time de Cientistas de Dados da empresa. “O ambiente corporativo é bem diferente do acadêmico. As coisas são muito rápidas e ágeis. E precisamos disso para colocar em prática aquilo que aprendemos”, diz Rui sobre sua primeira experiência no mercado de trabalho.

Já Donato destaca a importância de atuar próximo às áreas de negócios. “É fundamental que as informações sejam compartilhadas para encontrarmos as melhores soluções para os clientes sempre, claro, respeitando cada modelo de negócio e o seu legado”, diz.

Depois de formado em engenharia mecânica, Aflalo começou a estudar dados e estatística online e, recentemente, iniciou um doutorado em ciência de dados no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Ele reforça o valor do ensino online para essa profissão. “Existe muita coisa boa online de altíssima qualidade que ajuda na formação de um cientista de dados, como o Coursera”, diz ele. A plataforma de cursos com sede em Mountain View foi fundada por professores de ciência da computação da Universidade Stanford e se tornou uma das principais referências para quem busca se especializar nessa área.

Quer saber mais sobre as profissões do futuro? Acompanhe o portal Consumidor Moderno pela hashtag #CMProfissõesdoFuturo




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS