Internet é a principal referência dos brasileiros sobre vida saudável

A facilidade de acesso e o grande número de informações na internet atraem os usuários, porém especialistas alertam que é preciso ter cautela

Por: - 2 anos atrás

As pessoas usam a internet para tudo, até mesmo como fonte principal para assuntos relacionados a algo tão sério como a saúde.

É o que revela uma pesquisa exclusiva, “Do essencial ao Gourmet – O que os brasileiros pensam sobre alimentação saudável e produtos premium”, realizada pela Banca do Ramon, um dos empórios mais tradicionais do Mercado Municipal de São Paulo.

De acordo com o levantamento, o número de pessoas que acessam a rede para sanar dúvidas nutricionais é maior do que aqueles que recorrem a um especialista.

Já os veículos de informações convencionais aparecem em último lugar na consideração dos entrevistados.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!
Principais resultados

A pesquisa contou com 1360 participantes;

Mais de 40% das pessoas consulta a internet para obter informações sobre alimentação saudável;

Menos de um terço dos entrevistados (28%) apontou o médico ou nutricionista como principal referência na hora de conseguir esse tipo de informação;

E 16,4% consultam, principalmente, as pessoas mais próximas, do convívio social ou familiar.

Os programas de TV são consultados por menos de 3% das pessoas;

Todo mundo usa!

De acordo com a pesquisa, a internet roubou a cena, passando em frente até dos profissionais da saúde. Ao contrário do que se possa pensar, esse comportamento não é exclusividade dos menos favorecidos, que muitas vezes não tem acesso a saúde. A pesquisa aponta que entre aqueles com renda familiar elevada o hábito de consultar essas informações na internet é predominante. Mais de 55% dos entrevistados que ganham acima de 5 salários mínimos usa a internet como principal fonte de informação em sáude.

Geração saúde na web

Para a nutricionista Juliana Tomandl, consultora da Banca do Ramon, o movimento em prol de hábitos mais saudáveis na internet pode ser muito positivo se usado de forma correta. “As pessoas adeptas a esse estilo de vida se seguem e dão apoio umas às outras. Além disso, pode ser estimulante acompanhar os registros dos esforços de como alguém mantém ou busca a boa forma, e ver os resultados atingidos”, diz.

O problema, de acordo com a nutricionista, é que muitas vezes as pessoas escolhem esse meio como a principal referencia e não buscam o auxílio de um especialista. Isso faz com que muitos caiam em armadilhas diz ela: “Alguns perfis nessas redes sociais divulgam novas dietas que excluem nutrientes importantes, e as pessoas acabam sendo influenciadas”.

Nutricionista é a fonte comprovada

Tomandl aconselha que o uso da web e redes sociais para esse fim, seja feito associado a um acompanhamento por um profissional da saúde capacitado. Um nutricionista está apto a prescrever a melhor dieta de acordo com as características individuais de cada paciente. “Somente ele pode dizer com precisão qual o melhor procedimento para cada caso. Além disso, ele também pode realizar o exame de bioimpedância para avaliar a composição corporal e verificar quanto de gordura é necessário eliminar e quanto se tem a ganhar de massa magra, e ainda pode mensurar os resultados da dieta e malhação de cada um”, explica a nutricionista.

Para finalizar, a especialista dá a dica: “Como um grupo de apoio informal a web tem várias formas de incentivo positivas, mas, para garantir os melhores resultados, o nutricionista é o melhor aliado”.