Compras por smartphone e tablet crescem 75% no trimestre

Segmento de roupas e acessórios têm a maior fatia do mercado de compras por smartphone e tablet; eletrônicos registram o maior tíquete médio

O número de pessoas comprando por aparelhos móveis cresceu 75% no último trimestre, período entre o começo de julho e final de setembro. A comparação é em relação ao mesmo período de 2016. O crescimento arrefeceu ligeiramente se levados em conta os meses de janeiro a setembro deste ano, quando o aumento nas vendas via mobile foi de 80%. Os dados são da Nuvem Shop.
A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!
O Brasil é o sexto país no mundo com o maior número de smartphones habilitados e esses tipos de terminais estão tomando conta gradativamente do comércio virtual. O volume das compras via mobile representou 46% do total de transações on-line no trimestre passado, contra 35% no mesmo período de 2016. O crescimento foi de 11%.
Além do aumento no número de transações, os lojistas também registraram alta em receita (9,5%), passando de 26% no ano passado para 35,5% em 2017 da fatia do mercado. O tíquete médio das vendas via mobile foi de R$ 209,66.

Moda lidera compras por smartphone

As vendas no segmento de moda (roupas e acessórios) representam mais da metade do total de transações, correspondente a 57% do total. Em seguida, o setor que mais movimentou o m-commerce foi o de saúde e beleza, com 13%. Casa e jardim vem em seguida, com 6%. O segmento de tecnologia não está entre as maiores transações, mas é o que representa o maior tíquete médio entre todos os setores, com R$ 467, mais que o dobro da média geral.
A pesquisa contempla dados de mais de 15 mil lojas operando no mercado on-line utilizando a plataforma de serviços de e-commerce da Nuvem Shop.
Leia também:
Compras por smartphones crescem 35,9% no primeiro semestre do ano 






MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS Prêmio Consumidor Moderno

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS