Gigantes da indústria de beleza lançam iniciativa de sustentabilidade

L’Oréal, Coty, Rocher e Clarins anunciaram o lançamento de uma iniciativa com EcoVadis para trazer preceitos de sustentabilidade à cadeia de suprimentos

Por: - 2 anos atrás

Shutterstock

A cada dia que passa, o capitalismo consciente passa a fazer parte da rotina das empresas, especialmente das multinacionais. Diante de aumento nas responsabilidades, especialmente quando o assunto é sustentabilidade, quatro gigantes da indústria da beleza firmaram uma iniciativa para impulsionar o desempenho ético de toda a cadeia. São elas: Coty, Clarins, Grupo Rocher e L’Oréal.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

O programa recebeu o nome de Iniciativa de Beleza Responsável (RBI, na sigla em inglês) e foi firmado em parceria com a EcoVadis, plataforma colaborativa que fornece classificações de sustentabilidade.

O objetivo principal é o compromisso de melhorar a performance sustentável em toda a indústria. Ou seja, compartilhamento de melhores práticas e processos, além de criar eficiência e benefícios para fornecedores.

A EcoVadis funcionará como uma espécie de perito independente. A plataforma fará avaliações e padrões dos fornecedores em quatro temas, sendo eles meio ambiente, ética, social e cadeia de suprimentos.

Transformação da beleza

A metodologia consistirá em documentos e avaliações de diversos participantes da cadeia, e o resultado será dado em padrões internacionais, como o Global Reporting Index (GRI) e o ISO 26000.

A intenção com os resultados não é necessariamente premiar aqueles que tiverem as melhores práticas, mas melhorar a eficiência de todo o setor. Por isso, o compartilhamento de resultados será disponibilizado para toda a cadeia.

De acordo com os executivos envolvidos no RBI, a iniciativa pode revolucionar o setor. “Os membros da RBI têm peso suficiente para transformar sua colaboração em uma verdadeira vantagem competitiva em termos de desempenho sustentável ao longo de toda a suas cadeias globais de abastecimento”, afirma Pierre-François Thaler, co-CEO da EcoVadis.