Mercado Livre vai manter benefícios para os consumidores

Em anúncio de aquisição da companhia Ecommet, o COO Stelleo Tolda afirmou que o Mercado Livre continuará custeando mimos aos clientes como frete grátis e descontos

Por: - 1 ano atrás

Divulgação

A guerra no e-commerce continua. O avanço de diversos players no segmento de marketplace, que funciona como uma espécie de shopping virtual, além do avanço da temida Amazon vem movimentando o mercado do varejo eletrônico. O Mercado Livre sabe que tem concorrentes à altura. E vai continuar colocando a mão no bolso para se defender.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Isso porque a empresa já vem apostando em uma estratégia de marketing mais ousada desde o início do ano. Os benefícios aos consumidores, como descontos na faixa dos 30% e frete grátis, se multiplicam. Para conseguirem isso, aportaram R$ 1 bilhão ao longo do ano no Brasil. E o número deve aumentar ainda mais no ano que vem.

“Os nossos concorrentes também gostariam de saber quando vai ser o prazo final dessas nossas promoções”, afirmou, em tom de brincadeira, Stelleo Tolda durante anúncio da aquisição da empresa Ecommet (veja detalhes abaixo). “Mas não temos uma data final para essa estratégia.”

O executivo, aliás, trata com naturalidade o avanço da Amazon – pelo menos no discurso. Tolda acredita que novos players também entrarão nessa disputa pelo e-commerce brasileiro, afinal apenas 4% das vendas do varejo ocorrem na internet. Mas é fundamental ter o conhecimento local para dar certo, segundo ele. “O e-commerce ainda é muito local e leva tempo para entender o mercado”, disse.

O balanço vai bem, obrigado

Ao menos nos números, a estratégia adotada pelo Mercado Livre parece estar surtindo efeito. De janeiro a setembro de 2017, a receita líquida no Brasil chegou a US$ 569,3 milhões, um aumento de 83% em relação ao mesmo período do ano passado. O faturamento global também teve um avanço  muito considerável: 63%, a US$ 961 milhões.

O lucro, que é raro no comércio eletrônico, também avançou. Nos primeiros nove meses, a última linha do balanço saiu de US$ 374 milhões, em 2016, para US$ 516,2 milhões este ano.

Tolda não entrou em detalhes sobre as vendas do último trimestre de 2017, mas adiantou que as vendas da Black Friday cresceram três vezes em comparação à edição de 2016.

A mais nova aquisição

Na quinta-feira (9), o Mercado Livre anunciou a compra de 100% da Ecommet, empresa de tecnologia especializada em integração de marketplaces. A aquisição foi realizada por R$ 36,5 milhões.

“Investir em tecnologias de gestão está em linha com o nosso objetivo de oferecer a melhor experiência ao vendedor e, consequentemente, ao consumidor final”, disse Tolda.

De acordo com o executivo, a compra da empresa foi estratégica para facilitar a vida do vendedor do Mercado Livre. Apesar da plataforma já prestar serviços para a companhia, a aquisição foi realizada para complementar as soluções oferecidas pelos braços Mercado BackOffice e Mercado Shops, unidades de negócios da companhia fundada na Argentina.

Mesmo com a compra, a Ecommet continuará sob o comando dos fundadores Frederico Flores e Fernando Montera. Os colaboradores também permanecerão na atual sede da companhia, baseada em São Paulo.