Prática de amigo secreto ajuda brasileiros a economizar

Quatro em cada vez brasileiros vão participar de amigo secreto neste ano, principalmente para poder economizar. Veja pesquisa

Por: - 1 ano atrás

O amigo secreto já se tornou um hábito quase tradicional nas festas de fim de ano. Seja em família ou no trabalho, a prática é divertida e acaba auxiliando os consumidores a economizar no período de Natal. Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que 44% dos brasileiros pretendem participar desse tipo de brincadeira no fim deste ano.

Entre os entrevistados, 18% participarão principalmente porque gostam desse tipo de evento e outros 18% por considerar uma boa maneira de poder presentear alguém gastando menos dinheiro.

As confraternizações serão realizadas principalmente com familiares (67%), colegas de trabalho (39%) e amigos (39%). Na média, 48% dos brasileiros pretendem participar de um amigo oculto e 40% terão pelo menos dois. O gasto médio pretendido com cada presente de amigo secreto é de R$ 61.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

“O amigo secreto é um jeito de presentear dentro das possibilidades de cada um”, aponta José Vignoli, educador financeiro do SPC Brasil e do portal Meu Bolso Feliz. Como o preço é estipulado com antecedência, o planejamento financeiro fica mais fácil.

Entre os 35% dos respondentes que não participarão apontam como principal razão o fato de parentes e amigos não terem costume de fazer amigo secreto (19%). O receio de ganhar presentes indesejados ou ruins e a falta de dinheiro também foram apontados por 10% e 6% dos entrevistados, respectivamente.

Critérios de compra

Uma pesquisa realizada pelo Google também confirma o interesse dos brasileiros pelo amigo secreto. Segundo a empresa, desde 2012, as buscas pelo tema cresceram 9,5% ao ano na plataforma. Em 2016 frente a 2015, o volume de buscas pelo termo aumentou 20%. Os produtos mais buscados para a confraternização são chocolate (27,2%), peças de roupa (25,9%) e livros.

O estudo aponta também algumas diferenças no comportamento de compra de homens e mulheres. O público masculino prefere presentes mais caros. Para presentes de até R$ 50, 62,7% dos respondentes são mulheres e para presentes acima de R$ 150, 51% são homens. Ao mesmo tempo, as mulheres se preocupam mais com qualidade – 60,3% apontam essa preocupação frente a 39,7% dos homens.