Mais conectado e desconfiado, esse é o perfil do consumidor digital no Brasil

Na hora de comprar, brasileiros preferem pagar usando celular, mas não confiam nas informações que buscam nas redes sociais, segundo estudo da Kantar TNS

O consumidor digital brasileiro fica mais tempo na internet, porém é mais desconfiado com o conteúdo que acessam na rede. Essa é uma das conclusões do estudo Connected Life, da agência de pesquisa Kantar TNS.
A pesquisa ouviu 70 mil consumidores em 56 países, incluindo o Brasil, e uma das conclusões é que para 52% dos brasileiros muito do conteúdo que veem nas mídias sociais não é confiável. A média global representa 35%.
A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!
Mas o tempo que o brasileiro fica na rede é maior do que no resto do mundo. São quase 8 horas por dia conectados, tempo já média global é de 5 horas.

E-commerce

Na hora de comprar,  46% preferem pagar por tudo usando celular, contra uma média global de 39%.
“Houve aumento nas marcas que oferecem opções de “social-commerce” aos consumidores, como serviços de compras pelo dispositivo móvel e a capacidade de compra por meio de plataformas de redes sociais”, afirma a Kantar, em nota. Para a agência, novas tecnologias como “botões comprar” e pagamentos móveis têm tornado o comércio eletrônico mais fácil entre os brasileiros.
Mas o consumidor no País também quer uma relação mais direta com as marcas online. Segundo a pesquisa, 53% dos consumidores brasileiros afirmam que, na maioria das vezes, podem reconhecer quando estão falando com uma máquina quando conversam com as marcas online.
“A transparência deve ser uma preocupação para as empresas. O consumidor não quer se sentir mais um; procura por um atendimento personalizado. Ele quer que as marcas entendam seus reais problemas e necessidades”, relata Maura Coracini, Head de Media&Digital da Kantar. 
 

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS