Desemprego cai no trimestre, mas mantém patamar de 2016

A taxa de desemprego ficou em 12% no trimestre setembro-outubro-novembro, segundo levantamento mais recente divulgado pelo IBGE

A taxa de desemprego ficou em 12% no trimestre setembro-outubro-novembro de 2017, o último trimestre avaliado. Os números indicam redução de 0,6 ponto percentual em relação ao trimestre anterior, junho-julho-agosto, quando a taxa de desocupação estava em 12,6%. Os dados são da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios).

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

O mês de novembro contempla contratações para Black Friday e já também para as festas de fim de ano. No mesmo período de 2016, a taxa de desemprego estava ligeiramente menor, com 11,9% de brasileiros desempregados.

 

Reforma trabalhista

A concretização das mudanças nas leis trabalhistas foi acompanhada de uma redução no número de empregos com carteira assinada na comparação anual. Os números são relativos porque as novas regras foram aprovadas somente em novembro.

O número de empregos registrados via CLT caiu 2,5% no trimestre em relação ao mesmo período de 2016. Uma redução de 857 mil postos de trabalho com carteira assinada e um total de 33,2 milhões. O número de empregos via CLT se manteve estável em relação ao trimestre junho-julho-agosto.

Já o número de empregados sem carteira de trabalho assinada (11,2 milhões de pessoas) cresceu 3,8% em relação ao trimestre anterior, com a criação de 411 mil postos de trabalho informais. Em relação ao mesmo trimestre de 2016, o número de pessoas empregadas sem registro em carteira subiu 6,9%, um total de 718 mil novas contratações.

O número de trabalhadores por conta própria se manteve estável na comparação trimestral, com 23 milhões de pessoas, e cresceu 5% em relação a 2016, o que corresponde a 1,1 milhão de novos trabalhadores autônomos.

 

Leia também:

Desemprego e supersafra derrubam preços dos alimentos




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS