6 tendências de tecnologia para ficar de olho em 2018

Há 51 anos, o evento Consumer Electronic Show exibe o que será tendência de consumo quando o assunto é tecnologia. Veja o que esperar para este ano

Por: - 2 anos atrás

Já virou tradição. Mais uma vez, o CES (Consumer Eletronic Show) deste ano exibiu as principais novidades para o mercado eletro eletrônicos das maiores companhias do mundo e que muito em breve estarão nas prateleiras de muitas lojas. Teve muita tecnologia nova: de novos smartphones, passando por objetos inteligentes, carros e até esquisitices que normalmente são vistas apenas em um evento dessa magnitude.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Este ano, o evento aconteceu entre os dias 8 e 12 e ocorreu no seu velho endereço: a iluminada Las Vegas, nos EUA. Estima-se que mais de 3 mil pessoas estiveram no evento, dentre eles jornalistas de todos os cantos do mundo de olho nas novidades e tendências de consumo. E eles não decepcionaram.

É claro que a eleição do que será tendência ou as melhores ou piores coisas é uma impressão quase particular de cada jornalista. No entanto, algumas ideias se repetiram nos artigos e a Consumidor Moderno separou algumas dessas ideias que podem ganhar notoriedade ou massificar entre os consumidores mundo afora. Vamos a eles:

Um chip revolucionário

A Intel fez dois anúncios no CES deste ano. Primeiro falou de um chip de 14 bits – algo que qualquer pessoa minimamente inserida no mundo da computação levantaria as mãos ao alto em sinal de agradecimento. No entanto, a melhor notícia veio em seguida: o presidente da Intel, Brian Krzanich revelou que a empresa já desenvolveu um chip com uma capacidade de nada menos que 49 bits. E por que algo tão potente? A ideia da companhia é dar mais um passo largo na direção da computação quântica e confirmar a sua supremacia dessa tecnologia.

O tal super chip recebeu o nome de “Tangle Lake” (uma homenagem a um lago no Canadá e próximo ao laboratório onde o chip foi desenvolvido). A Intel acredita que condutor irá auxiliar pesquisadores a avaliarem e melhorarem as técnicas de correções de erros simulações de problemas apresentados a supercomputadores. Em outras palavras, a ideia é que o supercondutor se aproxime da complexidade e subjetividade do cérebro humano em apresentar soluções a partir conexões não tão lineares – afinal, o ser humano pode resolver problemas juntando ideias totalmente desconexas.

E o que faremos com isso? Esse supercondutor vai ajudar cientistas a desenvolverem medicamentos, vai contribuir para a solução de cálculo extremamente complexos (como aqueles relacionados a física quântica) e vai ajudar até mesmo na precisão de previsões climáticas. A própria Intel está ansiosa para o uso dessa tecnologia nas chamadas cidades inteligentes.

Intel

Assistentes domésticos

Um consumidor minimamente apresentados as novidades tecnologias já foi devidamente apresentado a assistente virtual, tais como o Google Assistant, Siri ou Alexa. A novidade notada por jornalistas e especialistas é a invasão de outros objetos (muito além dos smartphones) que também possuíam  ajudantes virtuais embarcados.

A Samsung e a LG, por exemplo, anunciaram que levarão ao mercado super televisores com assistentes virtuais muito em breve. No caso da Samsung, é bem possível que a empresa utilize o seu assistente chamado Bixby. Já a LG, anunciou que irá usar o Google Assistant e promete algo realmente surpreendente quando o assunto é comando de voz.

E a Samsung e a LG não pararam por aí. O Bixby também será incorporado a uma linha de refrigeradores HUB da companhia da Samsung. O mesmo fará a LG com ao linha InstaViewThinQ.
E isso sem falar na incorporação desses assistentes em carros, eletrodomésticos, além, claro, dos smartphones.

Samsung

Robôs

Por ora, os robôs ainda parecem pouco úteis ou que poderiam ser definidos como uma mera excentricidade de consumo de uma pessoa ávida por novas tecnologias. No entanto, muitos jornalistas destacaram a invasão de robôs mais robustos e novas funcionalidades. Uma delas é ser uma espécie de empregada ou o responsável por controlar as tais coisas ligadas à internet.

Um deles foi o simpático CLOi, produzido pela LG. O produto parece ter encantado os participantes da feira, mas, como já virou tradição nas apresentações de robôs, o CLOi teria falhado em alguns comandos na hora da apresentação oficial.

REUTERS/Steve Marcus

iHealth

O iHealth já virou um segmento sólido dentro da alta tecnologia. No CES, grandes companhias exibiram novas funcionalidades quando o assunto é saúde, confirmando o alto interesse na produção e oferta desses produtos ao mercado – inclusive com a participação de grandes empresas globais.

A Philips, por exemplo, lançou uma fita adesiva que promete ajudar os consumidores na hora de dormir. Outra novidade foi produzido pela Swim.com e a Spire Health Tag, que apresentaram o primeiro maiô inteligente e que promete monitorar os movimentos de um nadador na água. Já a Neutrogema criou um acessório que se conecta ao iPhone e que analisa a saúde da pele – indicando posteriormente um dos produtos produzidos pela empresa.

Swim.com

Realidade virtual

A RV também não é uma novidade para o consumidor mais atento. No entanto, a grande nova onda do RV não necessariamente tem a ver os óculos em si. O que se viu na feira foram empresas que apresentaram novos dispositivos que aprimoram a experiência virtual.

Um caso foi a HTC, que lançou um fone de ouvido chamado Vive Pro. O acessório se conecta aos óculos de realidade virtual da empresa chamado Vive e promete um áudio realmente imersivo. Já a empresa irlandesa Design Partners exibiu luvas inteligentes que promete dar a sensação do toque no mundo virtual.
Empresas como o Google em parceria com as chinesas Lenovo e Yi Technology uma nova câmera para RV para que qualquer pessoa crie a sua própria imagem em 360 graus.

Carro elétrico

A Fisker, uma montadora de carro elétrico com sede em Los Angeles, exibiu um esportivo chamado EMotion. O que impressiona nesse veículo não necessariamente é o carro, mas o que está embaixo do capô – e que ajuda a ilustrar o atual estágio na tecnologia entre as empresas que se destacam nessa tecnologia.

O EMotion possui uma autonomia de 400 milhas ou mais de 643 quilômetros. Não bastasse isso, a empresa afirma que o recarregamento da bateria demora “longos” 9 minutos. Ou seja, mais rápido que o seu smartphone. Será mesmo? A ver.