Marcas nacionais ou produtos globais: o que o brasileiro prefere?

Estudo elaborado pela Nielsen confronta marcas nacionais de todo o mundo frente a produtos multinacionais para entender o que o consumidor prefere comprar. Veja

Por: - 11 meses atrás

Shutterstock

Um mercado globalizado é bastante movimentado. Principalmente se pensarmos no imenso portfólio de produtos presente em todas as indústrias hoje, parece que a cada dia surge um lançamento. A preferência dos consumidores, nesse contexto, é bastante diversa e pode ser influenciada por inúmeros fatores. Uma pesquisa da Nielsen mapeia exatamente o comportamento do consumidor nas compras diárias e sua relação com as marcas locais.

A consultoria comparou produtos fabricados por grandes marcas globais/multinacionais aos produtos fabricados localmente em 34 categorias de diversos países.

De uma forma geral, os consumidores de todo o mundo mostram uma crescente preferência pelas marcas globais. Na verdade, somente dois segmentos se destacam entre as marcas locais: laticínios e alimentos frescos. E, no Brasil, isso não é diferente.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Os brasileiros preferem marcas nacionais quando buscam alimentos como leite, manteiga, queijos e iogurte. Esse movimento parece natural quando pensamos na perecibilidade  do produtos, além da facilidade de adquirir as linhas nacionais.

O consumidores também escolhem marcas nacionais para produtos como biscoitos e snacks (34%), sorvetes (31%), cereais matinais (30%), bem como carnes e frutos do mar congelados (30%).

Veja a média geral da preferência dos brasileiros:

 

De olho nos gringos

As marcas globais se destacam na vida dos brasileiros principalmente com relação a p produtos ara bebês (como fraldas e alimentos de fórmula), energéticos, vitaminas e suplementos e itens de higiene pessoal feminina. Para essas últimas categorias mencionadas, somente 8% a 12% dos brasileiros entrevistados afirmaram preferir marcas locais.

No segmento de cuidados pessoais, especificamente, que engloba cuidados com o cabelo, maquiagem e corpo, a consultoria lembra a vantagem das marcas globais sobre as nacionais com relação a sua experiência em pesquisa e desenvolvimento de produtos. Isso é vital para qualidade e tecnologia.

Para Ricardo Alvarenga, especialista em comportamento do consumidor da Nielsen Brasil, o acesso à internet também têm influência sobre essa escolha. “O desenvolvimento do e-commerce favoreceu o crescimento das marcas globais nos últimos tempos, o que implica em um grande desafio para as locais”, lembra.

Lidar com tal cenário demanda que as marcas brasileiras compreendam profundamente o mercado e levem em consideração a globalização em suas estratégias. Assim, podem encontrar áreas de necessidades não atendidas, apostando em inovações desenvolvidas especificamente para características da cultura nacional. A personalização pode ser a maior aliada das empresas nesse sentido.